segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Bebendo a dor


Tenho um certo gole de dor na garganta
as vezes o engulo a seco...Desce feito espinho...
Mas nas outras é como cálice de veneno ,
 matando aos poucos o meu sorriso,
Tomo aos poucos e devagar..., tenho medo de engasgar...
Hoje a dose é amarga, amanha talvez talvez nem tanto!
Mas se é pra digerir , digiro em silencio e profunda tristeza...
O silencio sempre me fez companhia,
 e na solidão da dor que é tão minha,
eu aprendi a degustar cada lagrima, 
cada gotinha de um choro contido...
Chorado em silencio e renegado ao desprezo...
Adormeço e desperto, um dia novo, um novo sonho...
E o choro chorado todo, bebido em goles diminutos,
Se vai ...E dos lábios tensos e adormecidos de desilusão,
Há de brotar feito flor que viceja na primavera
Feito sol que nasce entre nuvens
 e acaba deixando atrás da montanha a escuridão...
Há de brotar novamente aquele sorriso que eu tinha antigamente...
E é assim que é...


Sandra Botelho


10 comentários:

Milton Kennedy disse...

Boa noite Sandra, passando para apreciar seus versos.

Paulo Francisco disse...

Há de brotar, há de brotar sim.
Um beijo grande

Majoli disse...

Doce Chocolate, que sejam apenas palavras e não realidade tudo o que escrevestes.
Achei tão triste.
:(
Beijo enorme, com saudades!

ReltiH disse...

ESE ROMANTICISMO TUYO, TAN NOSTÁLGICO.
BESOS

Marcia disse...

Sandrinha,em teus escritos há parte de cada um de nós ,momentos feitos de gente...que somos nós.Beijos!

angela disse...

Brota a flor no coração de quem sabe o amor.
beijos

edumanes disse...

Está lindo e confortável
O seu aconchego
De beleza formidável
Não sei quando lá chego!

Muito longe ele fica
Passo os dias a caminhar
Encontrando simpatia
Por onde eu passar!

Boa noite de quarta-feira para você amiga Sandra Botelho,e bons sonhos,
um bjo
Eduardo.

Evandro L. Mezadri disse...

Bela obra, Sandra!
Uma das melhores de sua autoria.
Muito reflexiva!
Grande abraço e sucesso!

Sueli disse...

Amiga, acho que você se superou! Estou extasiada! Já li um montão de vezes! Que liiiiiiiindo!!! Parabéns!

Manuel disse...

Senti tanta melancolia e tristeza neste poema que fiquei preocupado. Espero que sejam apenas desabafos de poeta.

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...