segunda-feira, 6 de junho de 2016



Porque teu olhar não me pertence
Onde estão teus pensamentos?
Viajando em outro corpo?
Sentindo outros beijos?
Enquanto lhe dou os meus!
Sou tua e não me queres,
meu coração está em tuas mãos e o desprezas!
Quisera eu não ter lhe conhecido
Quisera eu ter lhe virado o rosto ,
quando meu beijo você roubou!
Estou contigo e estou solitária
Um dia quando o sol me acordar,
Hei de me amar mais que a ti.
Hei de lhe mandar embora
e voltar a sorrir!

Sandra Gonçalves

terça-feira, 3 de maio de 2016

Doce sedução

Então você chegou...me pegou em seus braços
e de repente sem que eu pudesse impedir
Me encheu de desejo, me fez flutuar
Veio sem pedir licença, sem meias palavras
Sem explicações, apenas o desejo...
E eu perdida em seus braços me entreguei
Não fiz perguntas, não quis saber de onde vinha
não me importei se tinha na boca o gosto de um outro beijo
Ou no corpo o toque de outras mãos...
Me entreguei aos teus beijos de delicia e em fui tua , nua , sem pudores
Em ti coloquei meus suspiros, meus desejos a tanto tempo encerrados
e na minha cama até então casta de outro corpo,
limpa de outro cheiro, nos jogamos e nos amamos.
Ectoplasmados eramos um, apenas um corpo.
E tive você dentro do meu corpo, por todos os lados,
te senti em cada poro.
Nosso suor ungiu aquele momento, e a canção que ouvimos
nada mais foi que nossos suspiros e gemidos, repletos de desejo
Ah, moço bonito, de onde vieste? 
me tiraste a paz e me trouxeste paz.
Vieste me enlouquecer, roubar meus todos pensamentos.
Tatuaste em meu corpo e em minha alma, o teu cheiro
teus toques, teu beijo...
Necessito de ti, viciada que estou de ouvir tua voz, 
de sentir teus olhos a me olhar, olhos pequeninos de luz,
Porque me roubaste o coração, quando o teu já tem outra dona.
Porque me iluminaste o olhar se os teus brilham ao ver outros olhos.
Teu beijo me enfeitiçou com gosto doce de mel, porque se tua boca deseja outra boca?
Agora tu fostes embora, atrás do teu verdadeiro amor 
E minha boca não tem mais o gosto doce que havias deixado nela
é fel o que amarga minha alma
Choro... Por me sentir tão solitária...
Moço bonito que veio me trazer o sol e agora me deixou em solitária escuridão
Vou esperar até o dia que tragas para mim teu coração
mesmo despedaçado e machucado prometo costura-lo com beijos, cura-lo com amor
refaze-lo com toda ternura.
Para que, quem sabe um dia... Eu possa fazer dele o meu abrigo.
Minha morada, meu porto seguro!
Estarei aqui a esperar por ti...Sempre!

Sandra Gonçalves

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sem pontuar



Cama vazia..
de um lado desarrumada
me encolho em mim mesma
cobrindo meu corpo
solidão.. 
paredes frias
lençóis amassados...
reviro na cama, 
insonia...
sem um corpo quente,
faz frio
jazz no travesseiro ao lado, o 
 perfume do amante
o quarto é infinito
Cercea meus sonhos,
Vago pela casa...
quem sabe um trago?
Eu quero um vicio,
um vicio que me enleve, 
distraia...
Nas minhas mãos o prazer, 
êxtase...
no fim  ...solidão!
Foi-se o ombro onde adormeci
restou...
o silencio,  
Desejo saciado
mãos molhadas
gozo...
cama vazia, 
me vesti de brisa
adormeci.
Alma vazia!

Sandra Gonçalves


terça-feira, 16 de fevereiro de 2016







É um engasgo uma dor

É a vida escorrendo pelos dedos

Fecho as mãos com força para tentar segurar

É impossível!

É a luz se apagando do candeeiro.

A brasa perdendo o calor, o fogo...

É  uma dor,

Uma lágrima solitária!

Gemidos implorando paz.

Impotência!

É um choro silencioso...

E lá fora há vida!

Ouço risos...

Sandra Gonçalves

Pinta tudo vai! 3




Pinta de novo minha vida de alegria!
De cor de rosa, o riso que minha boca sorria...
Pinta de paz o meu coração que antes amava,
Pinta de luto a dor que me habitava!
Pinta de luz esta escuridão na alma
e trás de volta aquele beijo que me acalma.
Pinta de esperança minha vida!
A paixão antes por mim vivida...
Pinta de plenitude este vazio que me habita
E de liberdade a razão que me limita.
Pinta de fogo o meu desejo,
e me tras de volta o amor que almejo.
Pinta de alegria a minha tristeza,
pinta meu olhar de pureza!
Pinta, colore, rabisca de todas as cores
Todos os meus desbotados amores!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Pinta tudo vai!


imagem: Miguel Hijjar


Pinta tudo vai...
Pinta a flor da cor do amor
Pinta a ilusão perdida
Pinta de chegada a despedida,
pinta de amarelo o que foi triste,
e de branco a paz que não mais existe!
Pinta de rosa o sorriso dela
e faz colorida a mulher mais bela!

Pinta de arco iris a diversidade
e de negro o que não é verdade...
Pinta de cor nenhuma o preconceito
pinta de tristeza o suspeito,
que mata fere estupra outro sujeito.
Pinta de verdade a esperança, 
E de muito amor toda a criança.
Pinta a flor que é do jardim,
que ninguem a colha pra mim!
Pinta de alegria a tristeza!
Pinta de bondade a malvadeza!
Pinta com o pincel do amor toda a terra,
pinta de transparente a dor da guerra!
Pinta o sangue inocente,
e faz brotar dele outra semente!
A semente que pinta de verdade a vida
e refaz a esperança perdida!
Pinta de risadas todos os dias,
noites, tardes ou madrugadas frias
E pinta meu coração de paz,
Pois nele a dor não mora mais.
Pinta a poesia de eternidade
e minha inspiração colore de verdade.
Pinta com lápis de cor colorido
Todo coração ferido!
Pinta de esperança a humanidade
e colore os corações de bondade!

Sandra Gonçalves

imagem gentilmente cedida por Miguel Hijjar
www.facebook.com/miguelhijjarphotography

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Mar, Doce Lar!



Foto: Miguel Hijjar

Ah, barco ancorado e triste!
Solitário... aportaram-te na areia do mar . 
Quem, por maldade, aí te acorrentou?
De longe observo-te,  aprisionado ,
chorando a sombra de uma cabana,  a 
triste sina de não mais navegar!
Ah como eu te entendo!
Pois na minha solidão, 
todas as noites me sinto ancorada,
aprisionada em um quarto pequeno demais para o meu coração!
Sou como tu barco ancorado...
Guardo lembranças de felicidade...
Tempos idos em que eu navegava, por esses mares e rios
sem leme, sem remo, sem bússola.
Livre!
Livre como as ondas do mar...
Levada de lá pra cá, ao sabor de todos os ventos...
Beijada pela brisa, seduzida pelo sol, acariciada pela Lua
amada pelo mar!
Quem sabe, retirar-te eu possa  de teu cárcere,
libertar-te da areia que aprisiona teu balançar...
 E enfim  me aconchegar dentro de ti,
Avançar mar adentro, jogar fora o remo...
e simplesmente navegar...
Sandra Gonçalves

Imagem gentilmente cedida por Miguel Hijjar
https://www.facebook.com/miguel.hijjar
http://www.miguelhijjar.com/


domingo, 2 de agosto de 2015


Ando cansada...
De amigos falsos, de sonhos que nunca se concretizam,
De amores que não se doam...
Ando cansada de chuva que cai pela metade.
De um céu meio azul, meio cinza.
De não mais ver a estrelas...De noites quentes demais para descansar.
Ando cansada da falta de carinho. da falta de companheirismo.
Ando cansada de repetições, de dias sem nenhuma magia.
Cansada de muitas perguntas e nenhuma resposta.
Cansada de me sentir sozinha.
Das noites sem ninguém pra sorrir junto comigo.
Ando cansada de não poder chorar, nem reclamar.
Ando cansada de me calar...
Ando cansada da vida assim, tão vazia!
De roupas que não me traduzem.
Sorrisos amarelos dados por obrigação.
De orar sem a fé plena de receber,
Ando cansada de não viver.
Cansada da falta de amor noutro olhar, cansada de não me amar.
Ando cansada da forma egoísta que me olham, me julgam...
Ando tão frágil, tão silenciosamente frágil.
Ando cansada de abraços frouxos, beijos secos e caricias apressadas.
Ando cansada da distancia, do medo, da saudade...
Ando cansada do silencio , que somente vai virar canção quando todas as notas que agora são dissonantes, estiverem em plena comunhão, em perfeita sintonia...Em harmonia...
Ando cansada da sinfonia desafinada da vida!
Sandra
Gonçalves

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Amar só por amar!




Hoje me deu vontade de falar de amor
de amar só por amar.
Falar daquele amor que é seu ultimo pensamento ao dormir
e o primeiro ao acordar!
Daquele amor que quando faz amor , olha nos olhos
e te faz viajar pra dentro da alma dele.
Um amor que seja reciproco em carinho , em cuidados...
Que te leve flores pela manha, e que mesmo você estando de cara a
massada, seja capaz de lhe achar bela

e de lhe dizer isso,com tamanha sinceridade que não caberiam duvidas
Hoje eu senti vontade de falar de amor...
Um amor que me conheça inteira e seja capaz de me levar as nuvens de tanto prazer...
Mas que tambem saiba fazer com que eu me sinta a mais amada das mulheres.
Não precisa ser perfeito, nem precisa ser bonito.
Basta saber amar, basta me amar.
Hoje eu senti saudade de amar e ser amada.
Porque amar é quase como viver...
Respirar...
Amar é plenitude...
Hoje eu senti vontade de amar até me cansar,
só pra descansar dentro do coração de um outro alguém!
Sandra Gonçalves

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Nós


Quando você entrou em minha vida...
Eu simplesmente passei a viver por ti,
porque meu coração saiu do meu peito e 
se uniu ao teu.
Meu coração, passou a bater ai,
dentro do teu peito. 
Aninhado em algum lugar onde meu compasso suave
se misturava ao teu.
Tocava suas mãos  e... numa simbiose mágica
me transportava pra dentro de seus suspiros...
Nossos corpos se misturavam e formavam um,
sentindo a beleza do desejo,
 a satisfação de fazer amor... Amando!
E eu comecei a sorrir os seus sorrisos
A me ver por teus olhos e através deles.
Dos diferentes tons que ele assume em cada situação!
Era imenso o meu desejo de apagar toda sua dor,
e lhe dar meu maior e mais intenso amor.
Não mais pensava em prosseguir a vida sozinha
porque meus pensamentos se misturavam aos seus.
Meu corpo te desejava com a volupia que o teu me desejava.
Minha alma agora morava em dois corpos.
E por mais que eu lutasse pra me trazer de volta pra dentro de mim
era em ti que eu morava, era em ti que queria ficar, era em ti que eu me sentia feliz!
E é por mim que quero amar-te , hoje, amanhã e sempre!

Sandra Gonçalves

segunda-feira, 30 de março de 2015

Obstinada



Em meu peito arde o dia
queima a noite feito melodia
Enquanto chora a vida feito canção
solto aos ares a mais pura emoção
molho os meus labios o mel
na gota fina que cai do céu
e escorre das mãos os dias
os risos, que para mim, rias
No coração o silencio frio
com a brisa fresca me inebrio
Ha luzes clareando a noite
em meu peito a escuridão feito açoite
Mas me dispo a cada amanhecer
e me permito simplesmente florescer
Não sou rocha não sou nada
sou apenas a insistencia da agua
Sandra Gonçalves

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Assim...


E fico assim, envergonhada
Acabrunhada por ser eu.
Pensei que fosse ser diferente,
Que eu podia ser apenas gente
Pensei que podia sorrir de forma exagerada
Ou me mostrar a ti de maneira escrachada
Que iamos nos completar 
Que não poderiamos nos amofinar
Pensei que fossemos partir nesta viagem louca
Eu a te desejar e você a desejar minha boca
Que seriamos cumplices nesta loucura de amar
Pensei que teus olhos seriam cheios de paixão
Que juntos perderiamos a razão
As horas seriam contadas por beijos
E nossos corpos incendiados por desejo
Pensei que pudesse me permitir
Ser quem sou sem minha imagem denegrir
Que tu serias meu maior conforto
Ou talvez um seguro porto.
Não cabe a mim julgar teu atos
As vezes vorazes as vezes pacatos
Perdemos a sintonia
Que unidos nos mantinha
A distancia não nos separou
Mas a proximidade a tudo nublou
Me desculpe por te sufocar
Por inteira me mostrar
Agora estas assustado e distante
Perdi o amigo e o amante!
E fico assim ... Sem saber de mim!
Sandra Gonçalves

sábado, 25 de outubro de 2014

Quase como Icaro


Uma foto no porta retratos meio amarelada
mostra um tempo em que as asas eram mais ágeis
O móvel velho que era do avô
Um pouco de perfume guarda um cheiro de domingo
Uma pitadeira que o cigarro abandonou
Sensações e loucuras de um tempo distante
Ácidos, drogas e rock and roll
Mulheres, muitas mulheres, inocentes
coerentes, loucas indecentes,
Sexo, carência , pouco amor, muita dor!
Vida louca vida , mais que doida
Amigos , do passado , comparsas
Amigos de hoje , amigos leais , nem tanto, sim tanto e quanto!
Os que vem , os que nunca vieram e os que vem todo dia
os que amam, os que nunca amam e os que jamais amarão
O casaco atrás da porta, com o cheiro de óleo
A moto que nem mais liga, desliga se liga!
O velho jipe, o novo, o novo velho e tudo parado
Parapente, parado, o pente sem dente o vento,
vento leste , sudeste o noroeste!
Vento bom, vento ruim, aqui la, lá e aqui!
Não, não importa mais, ventou, passou!
A fala mansa , o andar que cansa, o riso!
Ah o riso! raro riso, riso raro, emoção, canção.
O choro, a toa, bobo, de bobeira, Risos
Ri de si, ri do outro, apenas ri e chora!
O cigarro, quero fumar,...Amor quero fumar!
Dói a perna dói, dói a alma,
Deus...
Meu Deus, assim,não dá!
Dá , dá sim, a vida sempre dá, dá esperança!
Junte as tralhas, junte os cacos, plante tudo
e não haverá final, mas sim recomeço!
Vem amor me de a mão!
Vamos juntos, devagar, por esse caminho que ha de nos levar
Onde a vida planejou.
E na fumaça do cigarro não fumado, flutua no céu um ser alado
Sandra Gonçalves

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Muleka


Me fazes perder o sono , o prumo
e me deixas assim, quase sem rumo
Brincas com meus medos, desejos
e que vontade louca de beijos!

Tu és meu homem desejado
Meu menino muito amado
Consegues me levar as alturas
e de saudade me torturas

Quero sempre tua voz rouca
tuas mãos a tirar minha roupa
meu corpo geme por tuas caricias
e me enlouqueces dizendo delicias

De onde veio esse homem menino
Estavas escrito em meu destino?
Porque só agora chegastes?
E em mim tudo mudastes!

De moral e principios nem falo mais
Isso tudo esqueço em suspiros  e ais
Quero -te em mim alma e coração
Me completando de amor 
Ou me enloquecendo de paixão

Quando estou em teus braços
Me sinto menina, pequena..
Quero estreitar nossos laços
Em seus braços toda dor é amena!

Mas quando teu corpo me inflama
Ai me entrego a devassidão
sou tua devassa profana
Que te quer comigo na cama

Amo-te amor meu 
Desejo-te com sofreguidão
Meu corpo é todo teu
É teu tambem teu meu coração!

Sandra Gonçalves



sábado, 4 de outubro de 2014

Suavidade


Baila suavemente la fora o vento !
Canta...
 Leva ao balé da folhas e flores ...
docemente  balança as aguas da baia!
E as arvores não resistem ao  som que embala a vida,
e se deixam levar... Sus raizes se afrouxam e bailam!
 Há o perfume das flores que teimam em deixar suas pétalas levarem a cor ao dia pálido.
Dedilho suave de olhos fechados o som da vida...E é lindo...Suave Como o gosto de amor!
 Com gosto de fazer amor!
Em uma cama de estrelas o vento acaricia a pele que arrepiada se entrega a volupia da natureza!
Beleza... Suspiros e gozo!
Majestosas as montanhas choram por não se moverem, e mesmo assim dançam acompanhando os passos do mato, das pequenas flores...Há o encanto,  o breve encanto que o vento traz...Traz o riso, traz o pranto...A paz!
E na sinfonia do vento, notas soltas, sustenidos, bemóis, acordes conexos , compostos pelo Criador.
Ah...O vento...neste momento, seca a lagrima que teimava em cair , balança meus cabelos, refresca de vida meus sonhos...O piano viajante, que vai pra todos os cantos! O vento !
Toca a dama, o vagabundo...Toca o mundo!
E em cada nota que me encanta, da dor a vida, o vento me levanta!
Ouça!
 Há la fora o som do vento...Momento! Vou la fora dançar!
Sandra Gonçalves

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Não silencie o meu amor

Não me peça para calar esse amor...
Ele grita dentro de mim ensurdecendo a razão,
e nesse grito agudo de felicidade,
o meu amor se espalha , atravessando mares montanhas , rios...
 E pousa suave sobre seus ombros...
Esperando receber de suas mãos o afago suave 
que o manterá por perto...
Ali, aconchegado em teu coração
Não me peça para calar esse amor...
Ele não me ouviria, está ensurdecido de paixão!


Sandra Botelho

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Reticencias...





Eu não tenho mais inspiração para escrever, talvez seja porque a vida me sufocou com tantos ais, me fez ver que ela é dura e por vezes fria no trato com os mortais.

Hoje , agora, me restou um tantico de tempo e vim colocar em muitas e poucas letras o meu coração que anda assim, feito palavra sem acento, feito frase sem ponto nem virgula. Hoje sou reticencias...Apenas reticencias! E vou vivendo todas as interrogações que o destino me impôs, filtrando exclamações, e sufocando pontos finais. Porque é preciso pontuar a vida, senão ela perde o sentido. E nesta ortografia maluca, por vezes cruel e injusta. Eu sigo aprendendo..Quem sabe aprendo que entre cada acento, ha de se encontrar um sentido na frase, um sorriso no meio e a felicidade no final.
Sandra Gonçalves

domingo, 20 de julho de 2014

A colheita de todos os sentimentos



Cada sonho que plantei,

Com mil lagrimas reguei
Germinaram na escuridão
E iluminaram meu coração



Mas seus frutos doentes
Não me deram boas sementes
A terra infertil que era
Não floriu na primavera


Fui em busca de terra pura
Buscar pra meu coração a cura
Com meu sorriso adubei um canto
E reguei a semente com meu pranto


Foi então que descobri
Que tudo está dentro de mim
A terra fertil, a mais bela flor
E o mais puro e doce amor!

Sandra Gonçalves

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Fragmentos de mim



Sou a musica que eu canto 
Entre sorrisos e prantos 
Sou a dança, sensual e mansa 
Que de olhar nunca se cansa 
Sou aguia que voa para se esconder,
 me escondo para me refazer 
Eu sou a duvida que te confunde 
Sou corpo que ao teu se funde
 Sou o vento que revira seus cabelos 
Sou a doce sensação de prazer que eriça seus pelos 
Eu sou o sal que salga a vida 
A gostosura de uma doce lambida 
Sou frações de sentimentos 
Mas posso ser plena em meus momentos 
Sou entrega inocente e total mas sei me desviar do que é mal
 Vivo e padeço com meu sonhar mas me recupero ao acordar
 Gosto de me dar por inteiro 
Renasço a cada Janeiro
Não sou boa, nem sou má. 
Sou alguém que ainda sabe amar. 
Não me contenho na tristeza 
Choro, diante da dor, do amor e da beleza 
Sou totalmente sentimentos 
Gosto de eternizar os meus momentos 
Eu sou o pensamento mais breve 
Ou aquele pensar a que ninguém se atreve,
 Sou o corpo tremulo de desejo 
Ou a sutil delicadeza de um beijo 
Sou o coração que acelerava quando meu amor me esperava
 Eu sou o mistério que está no ar 
Nunca saberei me decifrar 
Enigmas de amor em noite escura 
Sei ser tambem sua cura 
Sou pegadas deixadas na areia
 Tarantula emaranhada em uma teia
 me encontro e volto a me perder 
Sou tudo que a vida me deixa ser 
E quando a paixão fecha o cerco,
 Ai então é que me perco 
Quer me encontrar? ]
Estou no vento, no mar...
 Em cada fragmento de amor que ainda restar... 
Pode me ver nos suspiros ou nos sorrisos, 
Se procurar com atenção,
 Posso estar em seu coração!
Sandra Gonçalves

domingo, 6 de julho de 2014

Plural


E quem foi que disse que sou uma só, ninguem é uma só, dentro de cada um de nós moram inumeras outras pessoas. Que se fundem, se escondem, se mostram ou se misturam, E essa mistura é o segredo a ser desvendado, o mistério a ser descoberto. 
Sandra Gonçalves.