quarta-feira, 12 de junho de 2019

No Banco da Praça


Foto Google

Causou-me espanto noite dessas,
Ver lá num canto no banco da praça,
Sentados em uma noite fria,
um casal de enamorados!
Não havia entre eles espaço vazio,
Em nenhuma das mãos o celular  ...
Não havia virtualidade, era real!
Não foi mera miragem...
Eu vi. No banco da praça!
Um casal enamorados!
De mãos bem dadas, corpos juntinhos,
bocas coladas, olhares cheios de amor,
troca de juras, caricias inocentes...
Eu vi! E sorri!
Percebendo que ainda é possível,
É possível salvar o amor!
É possível torná-lo real de novo!
Sim! É possível amar como antigamente!
Sem emotions e ghiphis em substituição aos sentimentos!
Sem nudes, sem posts , sem whatsapp, sem facebook!
É ...eu vi, o amor em sua forma mais sublime!
E nessa noite eu sorri, sorri de amor!
Sorri de encantamento e cúmplices ao meu lado
Duas amigas também suspiraram...
Ah o amor!
É a raridade desses momentos que os torna tão lindos!
Amar é um ato de coragem!
Por mais amores a luz da lua, 
Por mais beijos quentes e inocentes,
Por mais casais nos bancos das praças!
A se amar de verdade, a se amar...
A se amar...

Sandra Gonçalves

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Vale se for VALE.

Vale mais a dor que o amor Vale? Vale!
Valem mais as  lagrimas em meio ao lamaçal Vale?  Vale!
Valem vidas perdidas, tragédias anunciadas Vale?  Vale!
Valem sonhos descendo em meio a lama Vale?  Vale!
Vale o desespero da perda Vale? Vale!
Valem mais as ações na bolsa Vale?  Vale!
Vale a negligencia mais que a vida Vale?  Vale!
Vale a morte da inocência Vale? Vale!
Valem os conchavos e os acordos mais que a vida Vale? Vale!
Vale mais que o canto silenciado dos pássaros Vale? Vale!
Vale mais que a destruição das matas Vale? Vale!
Vale o rio que agoniza Vale? Vale!
Vale o grito de dor engasgado no peito Vale? Vale!
Vale o choro dos orfãos, das viuvas, das mães dos pais Vale? Vale!
Vale a dor que agora sinto Vale ? Vale!
Vale menos que o lucro desmedido e ganancioso Vale? Vale!
Vale, Vale?
Tudo Vale se ninguem punir!
Tudo Vale enquanto o amor for escasso!
Não choramos mais lágrimas e nem sangue. Choramos lama!
Mas isso também Vale!
Tudo Vale!
Tudo Vale se o lucro Valer!

Sandra Gonçalves





quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O beijo



O beijo

Sou um pouco de desejo, o inicio dele
Sou o gosto de canela com chocolate
Sou uma pitada de céu no gosto doce do mel
Como a fruta madura eu sou
mordida em suculento néctar
ou a mistura de sabores e desejos
Sou o gosto bom do beijo!

Sandra Gonçalves


terça-feira, 18 de outubro de 2016

Unilateralmente


O meu amor é doce
Antes assim não fosse
Seria mais fácil esquecer
Mais fácil de amor, não enlouquecer

O meu amor tem o riso lindo
Doi demais é vê-lo partindo
Levando junto o minha alegria
Matando minhas fantasias

O meu amor tem cheiro de alecrim
Um cheiro que ele deixa em mim
Quando com carinho me toca
E com beijos me provoca

O meu amor tem um beijo com gosto de mel
Olhos com o lume das estrelas do céu
Ele se porta com um príncipe encantado
E isso faz dele um ser muito amado

O meu amor me cura de qualquer dor
Tira de mim o medo da vida e o horror
Ele é meio musica , meio poesia..
Ele é minha maior alegria

O meu amor não me ama
Mas também não me engana
É o meu cavaleiro errante
E dele sou a amante

O meu amor é quem eu queria para mim
O meu sonho e desejo sem fim
Mas a vida não quis que ele fosse meu
Meu amor, minha vida, meu Romeu

Seguirei te amando com todo meu coração
E quem sabe num dia desses de verão
Você finalmente entenda que mesmo distante
Leva contigo o meu coração!

Sandra Gonçalves

segunda-feira, 6 de junho de 2016



Porque teu olhar não me pertence
Onde estão teus pensamentos?
Viajando em outro corpo?
Sentindo outros beijos?
Enquanto lhe dou os meus!
Sou tua e não me queres,
meu coração está em tuas mãos e o desprezas!
Quisera eu não ter lhe conhecido
Quisera eu ter lhe virado o rosto ,
quando meu beijo você roubou!
Estou contigo e estou solitária
Um dia quando o sol me acordar,
Hei de me amar mais que a ti.
Hei de lhe mandar embora
e voltar a sorrir!

Sandra Gonçalves

terça-feira, 3 de maio de 2016

Doce sedução

Então você chegou...me pegou em seus braços
e de repente sem que eu pudesse impedir
Me encheu de desejo, me fez flutuar
Veio sem pedir licença, sem meias palavras
Sem explicações, apenas o desejo...
E eu perdida em seus braços me entreguei
Não fiz perguntas, não quis saber de onde vinha
não me importei se tinha na boca o gosto de um outro beijo
Ou no corpo o toque de outras mãos...
Me entreguei aos teus beijos de delicia e em fui tua , nua , sem pudores
Em ti coloquei meus suspiros, meus desejos a tanto tempo encerrados
e na minha cama até então casta de outro corpo,
limpa de outro cheiro, nos jogamos e nos amamos.
Ectoplasmados eramos um, apenas um corpo.
E tive você dentro do meu corpo, por todos os lados,
te senti em cada poro.
Nosso suor ungiu aquele momento, e a canção que ouvimos
nada mais foi que nossos suspiros e gemidos, repletos de desejo
Ah, moço bonito, de onde vieste? 
me tiraste a paz e me trouxeste paz.
Vieste me enlouquecer, roubar meus todos pensamentos.
Tatuaste em meu corpo e em minha alma, o teu cheiro
teus toques, teu beijo...
Necessito de ti, viciada que estou de ouvir tua voz, 
de sentir teus olhos a me olhar, olhos pequeninos de luz,
Porque me roubaste o coração, quando o teu já tem outra dona.
Porque me iluminaste o olhar se os teus brilham ao ver outros olhos.
Teu beijo me enfeitiçou com gosto doce de mel, porque se tua boca deseja outra boca?
Agora tu fostes embora, atrás do teu verdadeiro amor 
E minha boca não tem mais o gosto doce que havias deixado nela
é fel o que amarga minha alma
Choro... Por me sentir tão solitária...
Moço bonito que veio me trazer o sol e agora me deixou em solitária escuridão
Vou esperar até o dia que tragas para mim teu coração
mesmo despedaçado e machucado prometo costura-lo com beijos, cura-lo com amor
refaze-lo com toda ternura.
Para que, quem sabe um dia... Eu possa fazer dele o meu abrigo.
Minha morada, meu porto seguro!
Estarei aqui a esperar por ti...Sempre!

Sandra Gonçalves

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sem pontuar



Cama vazia..
de um lado desarrumada
me encolho em mim mesma
cobrindo meu corpo
.. 
paredes frias
lençóis amassados...
reviro na cama, 
insonia...
sem um corpo quente,
faz frio
jazz no travesseiro ao lado, o 
 perfume do amante
o quarto é infinito
Cercea meus sonhos,
Vago pela casa...
quem sabe um trago?
Eu quero um vicio,
um vicio que me enleve, 
distraia...
Nas minhas mãos o prazer, 
êxtase...
no fim  ...solidão!
Foi-se o ombro onde adormeci
restou...
o silencio,  
Desejo saciado
mãos molhadas
gozo...
cama vazia, 
me vesti de brisa
adormeci.
Alma vazia!

Sandra Gonçalves


No Banco da Praça

Foto Google Causou-me espanto noite dessas, Ver lá num canto no banco da praça, Sentados em uma noite fria, um casal de enamor...