domingo, 31 de maio de 2009

De quem é a culpa?

Olá, eu sou aquele menino que você não vê, moro ali bem ao lado de sua casa, em um morro onde as casas são construídas sem a menor segurança, sem projetos específicos, sem esgoto, sem energia elétrica. Sou aquele garoto que te assaltou ontem lembra? Sei que não te interessa minha vida, você só quer saber da sua segurança não é? Eu deveria estar na escola, mas tenho que trabalhar para ajudar minha família, tenho onze anos e já sou um homem, quando eu me tornar adulto, quero ser dono do morro, eu quero ser bandido. Porque? Porque bandido, ganha dinheiro, compra comida , drogas e mulheres. O governo não me deu outra escolha e a sociedade também não, quando quis estudar não tinha condições de ir até a escola, não podia comprar cadernos, e se ia a escola não dava pra assistir a aula até o fim porque o sono não deixava, afinal o tiroteio na favela durou a noite toda. Quando o sono não atrapalhava, meu colega tinha levado arma pra escola e as aulas eram suspensas. Enfim estudar pra que? Quero ser bandido, roubar pra levar comida pra casa. Empunhar uma arma faz com que os outros me respeitem. Eu já tenho onze anos, sou um homem. Alem do mais na favela os garotos não brincam com videogames, nem computadores e muito menos tem brinquedos, na favela nos brincamos de policia e ladrão, e eu quero ser o ladrão. Veja aquele policial, ele tem uma sherokee, vai me dizer que com oitocentos reais por mês ele consegue comprar um carro desses, é bandido também, ganha dinheiro da boca pra ficar quieto, pra deixar meus parceiros trabalharem. Eles ajudam a gente trazem armas pra nós, armas de uso do exército, estamos nos tornando mais fortes que os militares.Olha nos meus olhos eu não tenho mais o brilho que as crianças tem , meu desejo é de vingança, vingança contra uma sociedade injusta que matou meus sonhos de criança, se e que algum dia já os tive de verdade. Eu quero ser bandido e trabalhar para o trafico, posso ser olheiro ou entregador, mas um dia serei o gerente do morro, aí sim serei poderoso. Sei que posso morrer com uma bala no peito, mas antes de morrer levo um monte comigo. Eu mato mesmo, principalmente os "guarda". Eu cresci dormindo com as baratas e ratos, no meu barraco quando chove a agua entra e fica até o joelho, minha mãe colocava tijolos nos pés da cama pra gente não correr o risco de acordar no meio da agua suja. A única pessoa que gosto nessa vida é minha mãe, mato quem mexer com ela, meu pai era bandido também e morreu com um tiro na cabeça, dado pelos policiais. Meus irmãos já entraram todos pro trafico, e agora minha mãe chora e me pede pra não seguir esta vida.Quer que seu seja doutor...É engraçado, ser doutor eu, nunca, quero ser bandido, como meus irmãos, meus amigos.Meu destino é a rua e meu trabalho o crime. Eu já tenho onze anos e já sei o que quero. Não quero ser como esses mauricinhos, que sobem o morro pra comprar drogas, eles tem carrão, tem dinheiro e se drogam, não entendo porque. Então porque vou querer ser como eles? Eu uso drogas pra ter coragem pra roubar e matar.Eles não tem motivos então acho que é porque a vida deles é uma droga pior que a que eles usam. As meninas ricas querem ser mulheres de bandidos, isso dá a elas a segurança que não tem lá em baixo, aqui no morro ninguém mexe com mulher de bandido. Então você ainda acha que eu tenho que ser doutor? Se eu levar uma bala no peito não me importo, eu espero por isso todos os dias estou preparado pra isso. tenho onze anos e dois crimes nas costas, mas sou menor e ninguém pode me prender, por isso sou usado pra fazer coisas que poderiam ferrar um parceiro meu mais velho, leva-lo em cana. Os cana tem que me deixar ir embora e eu adoro ver a cara de bobo deles, quando me devolvem as ruas. O crac é meu maior parceiro, ele não me deixa ter dores de consciência, nem me lembrar de tudo que já passei.Ele disfarça a fome, com ele esqueço que ainda sou menino e me sinto homem. Então agora vocês podem me olhar com desprezo e com nojo. Eu sou bandido mesmo. Por escolha por opção, por falta de oportunidades, fui criado no crime e é o que sei fazer melhor. Este é o meu mundo.Já tenho onze anos e sou um homem, quero ser BANDIDO. Sandra Botelho

sábado, 30 de maio de 2009

Vidas

Vida errante doente, maldita carente

Vida sem limites maledicentes,

mais que dor mais que pranto

é a vida desenhada em encanto,

Vida sem termos nem receios,

sem carinhos e sem anseios

Indescritível em forma e cor, em saliências de dor,

Vida devedora de muitos, recebedora de poucos

Insaciável de dores repartidas e fatídicas

Vida mãe de poucos,

Madrasta de tantos sem encantos

Inegável mãe de risos, acalentadora de lágrimas,

Constantemente caçada, procurada, devastada

Pronta para ser devorada crua, nua, decente ou de maneira demente

Vida inconstante em um mundo vibrante

A esconder-se da gente,

A desenhar um, sorriso quente

A deixar correr uma lágrima carente

Vida dada a demônios em um lucro desonesto

Ou a anjos com um carinho funesto

Vida, anjo da noite a refletir a luz de poucos.

A gerar inveja em outros,

Vida rara, clara, nublada e desejada.

Prostituta da vida, amante da morte.

Lembrada na volta e esquecida na partida,

Presente de grego,

Rainha sem apego, sem amor, sem horizontes, sem plural

Vida verdadeira e eternamente irreal.

Vida sem vida, vida frágil e forte,

Prisioneira do tempo, escrava da morte.

Sandra Botelho

Solidão

Solidão, é viver em um mundo de sonhos, onde você faz a sua historia, sem tropeços sem erros, sem dores, porem sempre só. é perseguir o irreal, o insondável, o inegável, o incomensurável, solidão é acordar todos os dias sem objetivo, sem esperança, é ser alguém sem pretensões, é ser gente sem sonhos, sem vontades, sem amores. é escolher não ter dores, nem rancores. Solidão é abrir mão de você mesma, é ser alguém que não tem espaço no coração de ninguém, e nem deseja ter, e não luta por nada. vive simplesmente com medo. medo de se entregar e se ferir, e por isso prefere não tentar. Solidão é verdadeiramente não ser ninguém. È não ter amigos, nem ser capaz de fazê-los, é viver um rascunho nunca passado a limpo, é rabiscar palavras , e sempre apaga-las no final, é sempre se encolher dentro de sua casinha pessoal, seu caramujo emocional. nunca deixando uma fresta para o sol, porque a claridade nos obriga as vezes a fechar os olhos, as vezes... mas também deixa exposta muitas coisas que talvez desejamos esconder. Solidão é não querer amar, escolher ficar só para não correr o risco de sofrer, Solidão é não dar a mão a alguém, fechá-la a carícias e abraços, assim não sofrerá possíveis abandonos Solidão é se fechar, é se conter, é abandonar. é ter medo de caminhar acompanhado da própria sombra e por isso preferir andar sozinha. Solidão é uma escolha, uma dor desejada, Só sente solidão, quem não se ama, quem não gosta nem da própria companhia. Quem se acovarda, quem se encolhe , para as dores, para os amores, e principalmente para a vida.É guerreiro desertor, no campo de batalha que é a vida E viver é uma estranha e maravilhosa aventura... Onde a dor e os abandonos nos fortalecem, nos fazem maiores e nos dão a plena convicção de existir. Sozinhos não somos ninguém.

domingo, 24 de maio de 2009

Brincar de ser criança

Nada é mais importante que brincar, quando nos envolvemos em uma breve brincadeira. esquecemos por alguns instantes que crescemos, voltamos a ser crianças e sentimos como é bom ser feliz, ser breves em sentimentos , dar gargalhadas soltas , nos entregar a delicia de ser inconsequentes, ser doces inconvenientes, como é bom sentar na rua , juntar-se com a turma de adolescentes e crianças e dar deliciosas gargalhadas, como é delirante comer uma panela de brigadeiro sem nos preocupar, com espinhas ou em engordar, deitar no chão e olhar as estrelas, andar pela rua sem rumo, parar em algum lugar tomar uma cerveja, só uma porque eles não podem beber mais que uma afinal são menores. Como é bom esquecer que crescemos, tocar a campainha de casas desconhecidas e sair correndo, imagina se alguém te vê , ah melhor não imaginar... Rir de todo mundo como se não tivéssemos defeitos, chegar a ser irritantes por sermos muito críticos e sorrir e gargalhar por piadas sem nenhuma graça. Poder sair só de Jean, sem se preocupar com a maquiagem nem o salto alto.Ah!!! A liberdade... Meu Deus me deixa ser criança enquanto eu tiver energia pra correr, pra brincar, pra viver. Como é bom não ter responsabilidade, por algum tempo, não ter que correr contra o tempo. Quero ser criança, quero ter sempre esperança, acreditar que tudo vai mudar e será para melhorar. Não quero envelhecer, quero ganhar minha rugas porque não consigo detê-las, mas não quero um coração enrrugado, nem um corpo fragilizado por doenças inventadas, não quero ser escrava de remédios, por isso só os tomo em ultimo caso. Quero meu sorriso sempre no rosto, meus amigos sempre por perto. Quero continuar dançando sozinha, assim como faço todos os dias, com musica sem musica, eu faço minha própria canção, vou continuar cantando minhas canções desafinadas, sem me importar com o que os outros pensam.. Quero ser criança em sentimentos puros, não quero perder minha confiança nas pessoas, ainda acredito no bem que existem em todos. Quero continuar tendo imaginação, ser cativa dos meus sonhos, fechar meus olhos e voar pra longe sem deixar a realidade me buscar. Sou mulher e sei ser menina.... Sou menina e sei sei mulher.... Sou mulher menina e menina mulher. E sou feliz, nenhuma dor me derruba e ninguém vai conseguir apagar meu sorriso. Serei sempre aquela que vive, acima de tudo vive com toda a intensidade todos os meus momentos. É assim... Ser criança é tão simples, experimente, certamente, voltará a se apaixonar por você mesma E poderá dizer sem modéstia... Eu me amo. Sandra Botelho

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Sonhos desfacelados

Ela está lá todas as noites em pé nas esquinas, a esperar por alguém... Quem será que ela espera todas as noites no mesmo lugar, quem vira até ela? Ela não se faz essa pergunta, simplesmente fica a espera. A espera daquele que virá ,com certeza virá... ela se maquiou, uma maquiagem pesada, extremamente pesada, o seu objetivo seria esconder que ainda é tão jovem, tão menina? Porem tão envelhecida na alma. Ela se veste com roupas minúsculas, e exibe seu belo corpo, desenhado a traços firmes pela natureza.Como que torneado por bom marceneiro. Onde ela morará, quem são seus pais, será que ela está feliz hoje? Porque espera na esquina todos os dias,? Estará esperando seu príncipe encantado, aquele que virá busca-la leva-la para uma linda casa e cuidar dela? Doce ilusão, a vida real não é como os filmes, não é como em "Uma linda mulher". Ela está lá, acende um cigarro ajeita os cabelos, retoca a maquiagem, faz pose de mulher fatal, Mas por mais que se esforce não consegue esconder seu jeito de menina, que perdeu a infância , a juventude e que agora se joga em muitas camas com muitos homens. É inaceitável dizer que ela tem "vida fácil", ninguém gostaria de uma vida fácil assim. Alguém lhe roubou a felicidade, basta olhar em seus olhos e ver a dor, a dor de uma alma comprada, de uma vida esquecida, de um corpo vendido. Ela chora quando fala do seu trabalho, e quase sempre diz querer abandonar o serviço. Passamos por ela tão rápido que nem notamos que no fundo de seus olhos existe uma tristeza enorme, uma alma enegrecida pela dor.Ela não é o algoz da situação, ela é a vitima. Ninguém a pergunta como foi seu dia, quais são seus sonhos, ela é produto, é coisa para uso. Vitima da crueldade de uma sociedade desigual, desumana. Vitima de uma sociedade em que se banalizou o sexo. Onde a mulher ,muitas vezes por culpa dela mesma, se tornou produto de consumo. Hoje se vende a mulher, e não é só a prostituta de rua, aquelas que agente vê nas esquinas não, essas estão lá, porque provavelmente a vida não lhe ofereceu mais nenhuma oportunidade. Mas o que dizer das mulheres lindas e famosas, que se prestam a expor seu corpo em revistas somente por dinheiro, e pior aquelas que a vida beneficiou com vários dons, como uma bela voz ou ainda o talento de atuar. E se prestam a fazer filmes pornôs. Essas sim deveriam ser olhadas por nós , não como vitimas , nem como atrizes, mas como verdadeiras prostitutas. Não fazem isso porque precisam, fazem por prazer.E depois andam pelas ruas e viram a cara para aquela jovem sem ilusões que está se oferecendo nas esquinas. Não tenho preconceito, acho que fazemos todos o que quisermos da nossa vida, mas também acho que está na hora de analisarmos nossos conceitos, nossos atos. Você receberia em sua casa uma daquelas meninas de "esquina" para um chá? Certamente que não. E uma daquelas atrizes bem sucedidas que se prestam a gravar filmes pornográficos e dizem que é arte, receberia? Certamente que sim, ainda se vangloriando por isso. você não pagaria para seu marido fazer um programa com uma prostituta, mas algumas mulheres dão ao marido revistas de mulheres nuas. Uma amiga minha me disse que compra prá ele, assim ele não precisa ficar vendo escondido. Bom acho que sou ultrapassada mesmo, mas o único corpo que quero que meu marido adimire é o meu claro. Bom opiniões particulares a parte. Da próxima vez que passar por uma esquina e ver aquela menina, coberta por maquiagem, não lhe vire a cara, não a despreze. tenha certeza que por trás de cada atitude, de cada decisão, existe uma história, e no caso delas, quase sempre uma história de dor.,uma história de dilaceramento de alma e de coração. Ou você acha que ela escolheu viver a margem da sociedade por prazer? Enquanto você dorme, ela se vende e é comprada, enquanto você faz amor com seu marido, ela é abusada, usada,humilhada e por muitas vezes de graça, porque alguns alem de não pagarem ainda a espancam,enquanto você teve uma bela educação, ela não tem sequer o primário completo, enquanto você se alimenta bem, ela não tem as vezes nem o que comer, isso tudo sem falar nos lugares onde mora, uma situação desumana. Não estou generalizando, sei que algumas fazem porque gostam mesmo, universitárias e etc. mas a grande maioria não é assim. Alem do mais, existem mulheres aparentemente bem sucedidas que se prostituem com seus maridos, isso mesmo com seus maridos, conheço mulheres que só" transam" com o marido mediante algum ganho seja ele qual for, presentes, dinheiro, viagens. Como você chamaria isso? Então vamos avaliar melhor nossa vida para depois querermos julgar a quem a vida não deu nenhuma oportunidade. Ela permanece lá... Na esquina esperando, está frio hoje...muito frio!!! Sandra Botelho

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Amor de mulher...

O que será esse amor, que chega de mansinho te tira a razão, te faz obedecer ao coração? O amor faz você sair de órbita, querer estar sempre perto, ter pensamentos soltos por todo o dia, faz você achar que encontrou a perfeição, se sentir uma pessoa especial só porque encontrou o amor. É sair nas ruas e te pegar sorrindo, sonhando, é ter aquela leveza gostosa que nos tira os pés do chão.Amar é querer ser o complemento do outro, aquela peça de encaixe que falta a ele,é querer ser a agua para banhar-lhe o corpo, é querer ser seu alimento, é estar disposta a ficar noites e noites somente olhando pra ele enquanto dorme. É acompanhar seus sonhos através de suas feições . Quando se ama, se cria laços que nunca serão desfeitos, porque o amor é eterno, ele nunca termina, pode até esfriar, pode ser embaçado por palavras duras, pode ser sufocado por magoas, mas ele estará sempre de volta em um simples olhar. Amar é como ter o sol por todo tempo a entrar pela casa afora, é sentir que suas mãos estão vazias demais quando não tem as mãos dele para acariciar, é esquecer de você e só se lembrar do outro. Cuidar-se mais para estar sempre bela para ele. É imaginar o que ele dirá depois do amor. Amar é esperar do outro o sorriso depois do beijo. É nunca querer crescer, quando ele lhe diz que você tem jeito de criança sorriso de criança. Amar é querer que a dor dele entre dentro do seu coração e saia do dele, sempre temos a pretensão de pensar que somos mais fortes que o outro e que aquilo que o machuca, nos machucará bem menos. É secar-lhe as lágrimas quando chora, é chorar junto. É ouvir-lhe falar dos seus pesadelos, sonhos e até coisas fúteis e achar lindo o jeito com que ele fala, é achar um charme aquela ruguinha no canto da boca, aquele jeitinho de olhar, o jeito de andar,. É conhecer todos os pequenos defeitos e detalhes e achar tudo perfeito. É sentir o coração descompassado quando ele se atrasa, é sentir ciumes quando ele acha outra muito bonita. Amar é querer partir com ele para um mundo só dos dois, é querer viver só de amor. É dormir pensando e acordar pensando nele. Amar é enlouquecer sem perder a sanidade, É se sentir sufocada de amor e desejo.É querer sempre o beijo, é viajar sem sair do lugar é viver no mundo da lua, a lua dos amantes. Enfim amar é nunca mais ser só, mesmo que a solidão aconteça, no seu coração e mente você sempre terá companhia. Que o amor nunca termine. que possamos amar muito e sinceramente, que as pessoas nunca sintam vergonha de dizer eu te amo, porque certamente tem alguém almejando ouvir essas três palavras para se sentir vivo.Para seguir em frente, para se entregar, para ser felicidade, para fazer felicidade. http://www.youtube.com/watch?v=04j0_9mAruA&feature=PlayList&p=5B1275E0D298E97A&playnext=1&playnext_from=PL&index=15 Sandra Botelho

terça-feira, 12 de maio de 2009

Contradições

Prefiro grandes ilusões a verdades medíocres, prefiro o sonho dos malucos a realidade morna dos sãos prefiro a derrota diante da guerra que o acomodar dos covardes prefiro a dor da perda que a banalidade do nada prefiro a acusação dos injustos que a misericórdia dos hipócritas prefiro a caricia falsa de um amante que o amor cálido de um insensato prefiro a justiça dos cegos que a injustiça dos magistrados prefiro o fedor dos mendigos que o perfume dos arrogantes prefiro a sensatez dos insanos que o conhecimento inútil dos sábios prefiro a pureza de um cão que a mornidão de um amigo prefiro a verdade das prostitutas que a pureza falsa das virgens prefiro o canto dos malditos que o hino dos supostos cristãos prefiro a morte dos generais que a destruição dos inocentes prefiro a condenação dos sensatos que a condescendência de chatos prefiro a escuridão dos cegos que a visão dos políticos prefiro o lento caminhar dos idosos que a corrida sem rumo dos jovens prefiro a tristeza alardeada que a felicidade negada prefiro o sangue a correr por justiça que o medo de buscar ideais prefiro a consideração de poucos que a adulação de multidões prefiro ser chamada de louca que ser incapaz de sonhar prefiro um corpo aleijado que não ter a capacidade de raciocinar prefiro a noite a dividir o céu entre lua e estrelas que o egoísmo do sol prefiro ondas a me derrubar que a fragilidade de um caminhar prefiro o oposto prefiro o gosto amargo e cruel do que é triste que viver sorrindo por um mundo que não existe. Sandra Botelho

domingo, 10 de maio de 2009

Sonata ao Luar

Quem de nós não teve um momento de extrema dor? Quem nunca sentiu, em algum momento da vida, vontade de desistir? Quem ainda não se sentiu só, extremamente só, e teve a sensação de ter perdido o endereço da esperança? Nem mesmo as pessoas famosas, ricas, importantes, estão isentas de terem seus momentos de solidão e de profunda amargura... Foi o que ocorreu com um dos mais reconhecidos compositores de todos os tempos, chamado Ludwig Van Beethoven, que nasceu no ano de 1770, em Bonn, na Alemanha, e faleceu em 1827, em Viena, na Áustria... Beethoven vivia um desses dias tristes, sem brilho e sem luz. Estava muito abatido pelo falecimento de um príncipe da Alemanha, que era como um pai para ele... O jovem compositor sofria de grande carência afetiva. O pai era um alcoólatra contumaz e o agredia fisicamente. Faleceu na rua, por causa do alcoolismo...Sua mãe morreu muito jovem. Seu irmão biológico nunca o ajudou em nada, e, some-se a tudo isto, o fato de sua doença agravar-se. Sintomas de surdez, começavam a perturbá-lo, ao ponto de deixá-lo nervoso e irritado... Beethoven somente podia escutar usando uma espécie de trombone acústico no ouvido. Ele carregava sempre consigo uma tábua ou um caderno, para que as pessoas escrevessem suas idéias e pudessem se comunicar, mas elas não tinham paciência para isto,e nem ele para ler seus lábios... Notando que ninguém o entendia, nem o queriam ajudar, Bethoven se retraiu e se isolou. Por isso conquistou a fama de misantropo. Foi por todas essas razões, que o compositor caiu em profunda depressão. Chegou a redigir um testamento, dizendo que iria se suicidar... Mas como nenhum filho de Deus está esquecido, vem a ajuda espiritual, através de uma moça cega, que morava na mesma pensão pobre, para onde Beethoven havia se mudado e lhe fala quase gritando: “Eu daria tudo para enxergar uma Noite de Luar” Ao ouvi-la, Beethoven se emociona até as lágrimas. Afinal, ele podia ver! Ele podia escrever sua arte nas pautas... A vontade de viver volta-lhe renovada e ele compõe uma das músicas mais belas da humanidade: “Sonata ao Luar” No seu tema, a melodia imita os passos vagarosos de algumas pessoas, possivelmente, os dele e os dos outros, que levavam o caixão mortuário do príncipe, seu protetor... Olhando para o céu prateado de luar, e lembrando da moça cega, como a perguntar o porquê da morte daquele mecenas tão querido, ele se deixa mergulhar num momento de profunda meditação. Beethoven o genio da musica , acabava de perceber que apesar de todos os seus problemas, se olhasse atentamente ao seu redor, enxergaria alguem com problemas maiores, ou iguais aos seus, mas que continuavam...vivendo... Para vocês se deliciarem, viajarem... Abaixo uma das mais lindas cançoes que alguem já compos. Sandra Botelho

http://www.youtube.com/watch?v=ChmPkwWMV0w&feature=related

Descompassos

Me diga por onde caminhavas quando deixastes meus passos para traz? Com quem sorrias, quando o dia amanhecia e não estavas por perto pra me dizer bom dia... A quem deu seu coração com quem dividiu sua emoção? e agora porque choras, e por vezes me pergunta :Porque me ignoras? Porque levantas pela manha e me olhas com olhar de criança pura e inocente... se na verdade quero ser somente amante? Quem és tu pra me falar de pureza se ainda és daqueles que vêem somente a beleza? Porque me julgas? Se também pecas somente com o olhar, e se esqueces por vezes de amar? Se erro é porque não estás por perto Se te machuco, é porque aquela dor que deixaste em meu coração ainda não se curou E você ainda nem me notou... Porque queres que eu me sinta acompanhada, se sempre estás distante? Se choro sozinha em minha cama não estás pra me dizer que me ama... Porque me diz palavras duras e me chamas de mesquinha,egoísta e impura? Se foi você quem plantou em mim a amargura. que fez de mim assim tão dura. Onde estavas quando gritei por ti? onde dormias quando meu desejo me deixava a rolar por noites em meu leito frio a sofrer dores de açoites? Me julgas forte, e irreverente mas não o sou, sou gente... Porque nunca estás aqui? Porque ficas tão longe de mim? O que foi que te fiz, porque perto nunca me quis? Porque me dizes sempre o que fazer, se nunca fazes o meu querer? Se me desejas, meu corpo é teu, mas se te quero, nunca és meu. Solitária e errante eu sigo apaixonada e carente, eu vivo. Como tocha que se apaga aos poucos, como lucidez na mente dos loucos. Sandra Botelho http://www.youtube.com/watch?v=axQsR7ICI58

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Sentir a paz a paz fugas e desconcertante de um coração errante em busca de mais sentir o coração medroso, que de repente manda na gente e se torna corajoso respirar profundo e domar o mundo com cordialidade e sem maldade e viver, e lutar por ideias e ideais lutar por liberdade lutar pra poder amar mais, e sentir do alto da sua timidez como o ator principal de um grande teatro a enfrentar a platéia com altivez e encantar e se fazer entender e sorrir e se fazer amar e seguir e transformar toda energia em prazer e fazer da vida, passageira e breve um sono maravilhoso um despertar gostoso plenitude é viver cada segundo com prazer é fazer com que toda tristeza seja revertida em poder. poder, para continuar poder, para chorar poder, para amar poder, para viver..Sobreviver. Sandra Botelho

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Caliente

Ah...como é doce teu gosto... como é macio teu corpo, e que cheiro bom tem nosso ninho Como é bom, se,derrama vinho em mim, me meleca de chantily, e sorve com gula e sede embalados em um amor louco, devaneios não nos faltam, somos dois bichos em um cio umido, em busca do prazer total. Ah...como é bom abrir-me pra teu corpo, ser tua intensamente, enrolar-me em teus membros, aninhar-me em teus braços, e suspirar por ti, cada vez que tuas mãos safadas e sem limites desenham meu corpo em traços fortes e cada vez mais perfeitos. tua língua quente, saliente, me fazendo gemer de prazer,levitar... sem censura... é assim que fazemos amor. Quantos gritos desnorteados, e lábios cerrados, esse desejo enlouquece, umidece e explode em mil fantasias, quase todas realizadas, sem pudor, nem dor, nem traumas, é assim que fazemos amor...Como um vicio, maravilhoso... Enquanto nos queimamos no calor de uma cama em brasa, a mente cria asas, e o corpo vira fogueira a ferver o sangue de dois amantes. Quando o gozo é iminente, as mãos se acalmam, a boca se aquieta com um beijo de amor, e tudo se torna morno e delicioso, para atrasar o gozo, pois ainda queremos muito mais.Queremos muitos gemidos e ais, não de dor, mas de prazer muito prazer, E aos poucos nossos corpos teimosos, se envolvem de novo e basta um beijo caliente para que tudo se esquente e recomeçamos a insanidade do desejo. Novamente todos os toques são fortes e todos os beijos nos deixam sem fôlego...É assim que fazemos amor. Me beija o corpo todo e lhe devolvo todos os beijos em todos os pontos que sei que desejas. Conheço teu corpo de olhos fechados e sei onde estão cicatrizes e pintas e todas as suas marcas, posso desenha-lo em minha mente, posso fazer amor mesmo distante... como um pintor a expor sua obra em detalhes perfeitos. E seu olhar safado sem medidas se insinua sem palavras ,eu adivinho tudo o que teu corpo quer, tudo que teu desejo implora, e me dou inteira nessa hora...É assim que fazemos amor... E a explosão acontece, é êxtase, é paz, é delírio,é vida, é amor, é gana, é cama, é mais que desejo, é tudo...é pleno. E então me ofereces o ombro e um chamego nos cabelos, depois de olhar em meus olhos e serenamente dizer que me ama, que sou a mais bela, a mais gostosa, a mais desejada e que me amaria até morrer... Se a morte me visse em uma dessas horas, duvido que ela em sua crueldade e frieza, conseguisse tirar-me dos seus braços, neste instante...seria covarde e invejosa, disso tenho certeza. Ah...Quero essa loucura impregnada em mim, esse gozo insano, esse amor mundano, quero você... Eu te amo. Então o sono merecido, vem ao encontro de dois amantes esgotados, porem felizes e intensamente apaixonados, satisfeitos, E dormimos embaraçados pernas e braços e boca e coração... É assim que fazemos amor. É assim que somos paixão.

Cheiro de sertão

Acordar de manha e respirar devagarinho, o cheiro doce das flores, do mato, do ar, ouvir o canto dos pássarinhos que do alto das árvores, ensaiam canções, repetidas todas as manhãs. Porém, nunca menos bonitas. Molhar o pé no sereno das flores colher verduras, frutas e amores correr atrás do vento e senti-lo te beijar oferecer-lhe a face para acariciar. andar descalço, sem sandálias nem laços tomar banho no riacho, na agua que corre abaixo fazer uma oração ao Deus da plantação para o milho crescer forte e encher de alegria o coração beber o leite morno tirado pela manhãzinha e o pão quentinho tirado do forno broinhas, bolos e bolachinhas correr ao galinheiro, colher ovos nos ninhos do terreiro tratar dos porcos, sem nojo,entrar no chiqueiro enfiar o pé na terra, e subir a serra, pra ver o sol mais de perto e ter que aprender o caminho certo. Comer o que se planta debulhar o milho, moer a cana, abençoar o filho... uma casinha caiada num sertão humilde uma morena Clotilde acima de tudo amada. A lua companheira, uma comida mineira, a viola afinada e uma canção apaixonada depois de um dia embalado por trabalho e sossego o sono doce e preguiçoso chega com chamejo... o colo quente da cabobla traz o descanso, embala o sono de um jeito suave e manso e o sol brilha e invade o corpo da gente cheiro de café e bolo quente, mais um dia no sertão sonhos que aquecem meu coração que fazem de minhas noites eterna canção. Sandra Botelho

terça-feira, 5 de maio de 2009

Quem sou eu?

Minha história é bem interessante,

nem sei porque decidi falar de mim:

Acho que presunção mesmo, ou talvez queira

mostrar para as pessoas como sou imprescindível

na vida delas ou deles... Arrogância? Não!

Bom no decorrer do relato vocês vão perceber quem sou eu.

Eu nasci no bairro paulistano do Brás, isso no Brasil claro,

fui trazido pra cá na bagagem de Charles Miller.

Em 1895 me mostrei as pessoas, todos se encantaram por mim,

e por isso sigo até hoje, tendo fama e fazendo a alegria de todos...

As pessoas do sexo feminino não me amam tanto,

sou o preferido do sexo oposto,

Não que eu seja gay, longe disso.

Mas tenho o dom de encantar os homens,

Por mim eles deixam tudo de lado,

ás vezes nem entendo porque, pois

sou formado por vários outros homens,

e estes sempre me idolatram, porque alem de dar a eles prazer

dou-lhes fama e fortuna.

Nunca me abandonam, são fiéis a mim desde a infância, até a velhice,

Não preciso me perfumar para que queiram estar sempre perto de mim,

Não uso roupas bonitas ,nem colantes e tampouco sensuais, pelo contrario, geralmente

São largas e confortavelmente, despojadas, e na maioria das vezes, bastante parecidas.

Salto alto nem pensar, apesar de que meus calçados tem pequenos saltinhos em todo solado...mas não exibem beleza nenhuma.

Eles vem até mim e pagam por isso.

Me alimento de gritos, aplausos, hinos, as vezes vaias, mas quando isso acontece, não são dirigidas a mim.

Divido opiniões, brigam por mim, uns me preferem vestido de vermelho e preto, outros de branco e preto, outros de azul, cada um gosta de mim com um nome.

Não me importo com isso, deixo que me chamem pelo nome que quiserem, se isso os faz felizes...

Estou em quase todos os lugares, não faço distinção de raça, cor ,situação financeira nada,

Me exibo em qualquer lugar...seja grande pequeno, num quintal num quarto, numa sala...

Onde me quiserem eu estou lá. Para alegrar meus fiéis fãs.

E pra lhes dar prazer, nem preciso aprender técnicas de sedução.

Consigo que fiquem sem tirar os olhos de mim, e nem faço nada pra isso,

Eles sempre vibram de prazer, de alegria...

Não precisam nem me ver para se apaixonarem, podem também somente me ouvir,

Ficam maravilhados com o que ouvem...

O que eles mais gostam é um grito que surge de mim, ou por minha causa.

E olha que este grito é que lhes dá mais prazer.

As mulheres não gostam de mim, somente as mais seguras,

Motivos pra isso elas tem e muito, mas sou um rival leal, nunca exijo atenção exclusiva, elas podem ficar deitadas ao lado deles enquanto eles se extasiam comigo, enquanto se alegram, enquanto vibram de prazer...

Permito que elas fiquem assistindo,sou fantástico.sou maravilhoso,sou grande, amado, idolatrado...

Aquelas que gostam de mim, meu muito obrigado, ás que não gostam...sinto muito.

Quem sou eu?

Sandra Botelho

Passos Falsos

Em todos os cais em que aportei ,por todos os mares e rios em que naveguei, sem bússola nem leme, me perdi em todas as direções, me aconcheguei entre as estrelas, depositei minha confiança nas multidões, jogada de um lado para o outro como as ondas do mar bravio, fingi sorrir quando a dor era excruciante , me doei de corpo e alma e nenhuma direção me foi imposta, e então me perdi, e de novo me encontrei,como se encontram mar e areia, morte e dor, fim e lágrimas. Todas as estradas me levaram a lugares insólitos e eu abri meus braços para tentar achar a direção, mas me perdi em todos os mapas e em todas as encruzilhadas. Queria um novo caminho, queria um novo caminhar, queria uma nova estrada, cheia de ilusões, repleta de paixões, quero que me indiquem a direção, estou perdida em mim mesma, e em meu peito há só desanimo, mas minhas pernas ainda querem correr...viver, dançar... Querem correr para o calor de um abraço, sem amassos, nem cobranças, só ternura e força, Quero navegar rumo ao horizonte, distante profundo e vazio, como minha alma. Eu quero me perder,e na multidão de feridas encontrar a cura, para todas as dores, dores de grandes amores.Me perdi num abismo, tão profundo que meu coração não suporta mais, ele quer emergir, mais não tem forças suficiente, quero a imensidão do espaço, infinito e perfeito. Eu quero o sangue derramado sem piedade, nem misericórdia, eu quero a morte. Perdida e distante eu sou aquela nuvem solitária em manhas de inverno,o ultimo suspiro de um agonizante. Andar sem direção,voar sem consequências ao pousar,sem limites ao navegar, e aportar em qualquer porto, em qualquer mar. Acomodar minha dor em outro ventre e continuar daqui pra frente, não me encurvar diante do vento, ser Dom Quixote, ser louca carente apaixonada e displicente. Se a dor tem direção quero outro rumo, outra canção. Eu quero o voo doce , rápido e seguro da águia, quero a sua ferocidade e vontade, me recolher entre as montanhas, e pena por pena trocar toda minha plumagem, e renascer, e reviver. Assim como a águia arranca suas próprias garras, quero arrancar minha própria dor.mesmo que sangre, quero voltar a voar. Eu sou a metade de tudo que sonho, quero ser inteira, plena e completa em mim mesma em meus sentimentos em minha atitudes e nenhuma direção existe que me leve até mim mesma. Grito e escancaro minha dor, ,berro e derramo minha falta de força e minha força extrema, eu sou o oposto de tudo que quis, de tudo que quero, de tudo que sou. Já nem sei mais quem fui, não sei quem sou. Me mostre a direção, pegue em minha mão e me aqueça. É noite e sinto frio... Sandra Botelho

casamento

É incrível a magia que envolve uma cerimonia de casamento! Se prestarmos bastante atenção, perceberemos, que o amor está por todos os lados, em meio a todas as pessoas, porque cada uma daquelas pessoas que estavam ali, estavam porque foram convidadas, e se foram convidadas é porque são queridas, são estimadas. Cada uma tem uma ligação afetiva diferente com os noivos, mas todos as tem. Não só os padrinhos e madrinhas, mas todos. Observei durante toda a cerimonia, a emoção dos convidados, todos em uma hora ou outra tiveram lágrimas nos olhos. Ou aquele sorriso chorão no cantinho dos lábios,é incrível o olhar de cada um, mostra diferentes emoções,mas é como se todas estivessem entrelaçadas, formando um circulo de felicidade, de desejos bons. Naquele instante, se todas as luzes se apagassem, bastaria o olhar da noiva para iluminar tudo, o olhar junto com o sorriso, seriam tochas acesas, a clarear o mundo. Ele , o noivo olhava para ela, como se naquele instante só existissem os dois no mundo, e ela fosse a mais bela dentre todas , soberana, a sua rainha,iluminada e bela. Seria belo se aquele brilho nunca se apagasse, se aquele olhar nunca mudasse, se aquele sorriso, olhando nos olhos fosse eterno. Mas as dificuldades da vida a dois, deixam o sorriso embotado, o olhar embaçado, e as luzes nem brilham mais como antes. Mas deixamos estas coisas pra depois. A cerimonia de casamento é uma das coisas mais magicas que o amor criou e permite. É a confirmação do amor eterno, ou pelo menos a busca dele. Casar-se é unir-se a alguém que tem hábitos diferentes, criação diferente, personalidade diferente, mas que mesmo assim é amado , desejado, e tão querido, que decidimos entregar nossa vida a esse alguém, e para sempre( se é que o sempre existe realmente) Estavam lindos os noivos, felizes com uma felicidade infinita e pura. Eu observei que ali naquele momento, era como se existissem somente os dois, absorvidos em seu amor, em sua busca pela felicidade plena, Foi lindo, e que seja lindo para sempre. E como diz o poeta: Que não seja eterno , posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure. Sandra Botelho

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...