sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Pinta tudo vai!


imagem: Miguel Hijjar


Pinta tudo vai...
Pinta a flor da cor do amor
Pinta a ilusão perdida
Pinta de chegada a despedida,
pinta de amarelo o que foi triste,
e de branco a paz que não mais existe!
Pinta de rosa o sorriso dela
e faz colorida a mulher mais bela!

Pinta de arco iris a diversidade
e de negro o que não é verdade...
Pinta de cor nenhuma o preconceito
pinta de tristeza o suspeito,
que mata fere estupra outro sujeito.
Pinta de verdade a esperança, 
E de muito amor toda a criança.
Pinta a flor que é do jardim,
que ninguem a colha pra mim!
Pinta de alegria a tristeza!
Pinta de bondade a malvadeza!
Pinta com o pincel do amor toda a terra,
pinta de transparente a dor da guerra!
Pinta o sangue inocente,
e faz brotar dele outra semente!
A semente que pinta de verdade a vida
e refaz a esperança perdida!
Pinta de risadas todos os dias,
noites, tardes ou madrugadas frias
E pinta meu coração de paz,
Pois nele a dor não mora mais.
Pinta a poesia de eternidade
e minha inspiração colore de verdade.
Pinta com lápis de cor colorido
Todo coração ferido!
Pinta de esperança a humanidade
e colore os corações de bondade!

Sandra Gonçalves

imagem gentilmente cedida por Miguel Hijjar
www.facebook.com/miguelhijjarphotography

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Mar, Doce Lar!



Foto: Miguel Hijjar

Ah, barco ancorado e triste!
Solitário... aportaram-te na areia do mar . 
Quem, por maldade, aí te acorrentou?
De longe observo-te,  aprisionado ,
chorando a sombra de uma cabana,  a 
triste sina de não mais navegar!
Ah como eu te entendo!
Pois na minha solidão, 
todas as noites me sinto ancorada,
aprisionada em um quarto pequeno demais para o meu coração!
Sou como tu barco ancorado...
Guardo lembranças de felicidade...
Tempos idos em que eu navegava, por esses mares e rios
sem leme, sem remo, sem bússola.
Livre!
Livre como as ondas do mar...
Levada de lá pra cá, ao sabor de todos os ventos...
Beijada pela brisa, seduzida pelo sol, acariciada pela Lua
amada pelo mar!
Quem sabe, retirar-te eu possa  de teu cárcere,
libertar-te da areia que aprisiona teu balançar...
 E enfim  me aconchegar dentro de ti,
Avançar mar adentro, jogar fora o remo...
e simplesmente navegar...
Sandra Gonçalves

Imagem gentilmente cedida por Miguel Hijjar
https://www.facebook.com/miguel.hijjar
http://www.miguelhijjar.com/


Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...