sexta-feira, 24 de julho de 2009

Imperfeição

Com o passar dos anos, nos esquecemos que as pessoas não tem que fazer tudo aquilo que julgamos correto. Analisar cada ser como único e especial, talvez nos faça ver que cada um desses seres tem sua personalidade, seus defeitos, suas incoerências, suas qualidades, seus amores , decepções etc. Todas as vezes que alguém nos decepciona, temos o habito de julgar e logo condenar. Seria tão mais fácil se déssemos as pessoas a chance de se explicarem, de mostrarem suas dores, seus motivos escondidos, de se escancararem, e assim olha-las com os olhos do coração, e sempre, sempre colocar em ação a empatia, não existe sentimento mais nobre que este. Uma palavra com uma definição tão linda: "A sua dor no meu coração" Sentir a dor do outro nos torna mais humildes, mais abertos, mais coerentes, mais humildes. mais humanos... Porem ...A imperfeição fala mais alto, e antes que os outros sentidos entrem em ação, surge a arrogância, Nos julgamos incapazes de cometer aquele mesmo erro, e por vezes dizemos: Nunca cometerei um ato como este, Certamente erros iguais são difíceis de serem cometidos vez por vez, seriamos completamente idiotas se assim o fizéssemos. isto exclui os erros cometidos por amor, estes são cometidos vez após vez e não é dado a ninguém o direito de julgar. Porque diferente do cotidiano, no amor, todas as coisas são possíveis, não digo que todas sejam aceitáveis, mas todos os erros são cometidos com a melhor das boas intenções, a intenção de ser feliz e de fazer feliz quem nos ama. Vez após vez erramos e recomeçamos... Ai daquele que não sabe perdoar os erros do amor. Exigir perfeição do ser amado é como exigir das estrelas que não brilhem, ou das ondas que interrompam seu vai e vem. Quem somos nós para julgar nosso semelhante? Acaso somos perfeitos? Acaso nunca erramos? Somos tão arrogantes e egoístas que colocamos sempre após todo o elogio, o maldito MAS... Alana é linda ,mas... João é super honesto, mas... Tadeu é muito dedicado, mas... Emerson é super apaixonado mas... Porque somos assim, porque alguém não pode ter boas qualidades que predominem aos defeitos? Porque temos que dividir as pessoas? Porque não encará-las como boas pessoas e só? Que predomine sempre em nossas bocas e pensamentos, somente a primeira parte da frase. Lançar mais elogios que criticas. Mais compreensão que incompreensão... Mais crenças que duvidas... Dar, doar, dividir, amar... O dia que o ser humano olhar pra dentro de si, sem hipocrisia, vai compreender que somos mais erros que acertos, mais imperfeição que perfeição, e que nenhum de nós tem o poder ou o direito de julgar nosso semelhante. Ninguém é melhor ou superior a ninguém, Somos todos pó, o pó da terra, imperfeitos e frageis, frageis como o pó que o vento leva. Só para refletir...

"Quando apontamos um dedo para nosso semelhante, outros quatro apontam para nós."

Sandra Botelho

domingo, 19 de julho de 2009

Ciumes

É voraz e devorador,
destroi , magoa e causa dor.
É imaginação de coisas não acontecidas,
são voos insanos de uma mente adoecida !
Faz do manso feroz,
e do pacificador , algoz!
Torna ira o que era paz
e do amor fúria sagaz.
Tira o sono de repente,
mata a fome da gente,
faz dos sonhos pesadelos,
e das canções desesperados apelos.
Desespera, atropela,
é mais do que insano,
esse sentimento desumano,
que fere, doi, gela!
Sem controle, sem razão...
Transforma o amor em frustração
esfria a alma , a paixão
destroi o corpo e o coração.
Sandra Botelho

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Ternura

Em meus braços ele adormece...
pego-o em meu calor ,
e em meus seios se aquece,
fugaz e doce este amor!
Seus sonhos posso ouvir,
posso tocar seus pensamentos,
um breve sorriso ao dormir,
afogado em sentimentos!
Debruça sobre mim toda sua dor,
em caricias, cubro-lhe de amor!
Um amor terno e cuidadoso,
Merecido e generoso!
Nesse instante o homem se faz menino,
recolhe minhas mãos, com carência,
deixa clara sua dependência,
de um cuidado , de um mimo.
Assim em meus braços, o aconchego...
Um muito do pouco do apego,
um pouco de tudo do que eu sou,
acolhendo a dor que ainda te restou!
Seu olhar a me encarar,
pede o que eu puder te dar...
Meu amor, meu calor , meu abraço,
Para amenizar a dor...o cansaço!
E se eu lhe digo ,
sem ao menos vacilar,
que o meu amor,
sempre vou lhe dar,
fecha os olhos e sorri,
dorme ,para mais sonhar!!!
Sandra Botelho

domingo, 12 de julho de 2009

Desejada

Como é bom ser amada...Desejada! Saber que alguém quer teu corpo, sentir teu gosto. beber teu mel, Sugar tua seiva se embebedar em teu céu... Como é bom ser devorada, com os olhos desejada, Sentir seu olhar malicioso, a ver meu corpo , por debaixo da roupa, e a imaginar... Gostoso é saber que me adora e com os olhos me devora! Perceber que em pensamento,estás comigo em outro lugar... Apaixonante, é sentir-te amante, é correr de ti pela casa, fazendo-me rogada e inocente, quando na verdade sinto meu corpo quente a desejar-te em pele e carne, em um calor indecente... Fascinante é experimentar toda a casa... Deixando marcas de nosso amor em cada canto, em cada móvel. Marcas de um amor em brasa. Delicioso é olhar-te enquanto estás de olhos fechados, e imaginar onde estariam seus pensamentos... Ver você me olhando ao me trocar, e em cada pedacinho de mim, sentir teu safado olhar. É vestir-me devagar, porque quero este momento perpetuar. É me insinuar e sair de mansinho, deixando-o enlouquecido, atordoado acalourado... Dar aquele risinho no canto da boca, e fingir por você não estar louca. Gostoso é ter você em meus braços, Prende-lo em meus laços, de mulher amante, querer-te sempre, amar-te todos os dias, tornar eterno, o que dura instante. Sandra Botelho

Amigo virtual

Chegou de uma maneira incomum, de um jeito torto tudo começou. Um pouco de conversa bastou, algumas musicas me mandou! Mostrou ser inteligente e sensível, me cativou de um jeito incrível! Minhas mentiras ele fez verdade, para minha vida trouxe luz, claridade! Ainda tocava um instrumento, soprava com amor e sentimento. E assim de um jeito carinhoso, Fez-se indispensável, fez-se amável! Era como o sol do dia, tempo nenhum havia que dele não me lembrasse, do raiar do dia, até que a luz se apagasse! Mas como todo sonho termina, não foi diferente minha sina, comecei a agir como menina, esqueci a lição que a vida ensina. Me envolvi alem da conta, e agi como uma tonta. Hoje sem ele o dia é sem sal, tudo é tão normal... Esqueceu-se de mim, esse amigo virtual, deletou, apagou excluiu, facilidade digital. E hoje a saudade é real quase dá para tocar, essa dor... Essa saudade, o erro de gostar de verdade! Sandra Botelho

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Recomeço

Parar por um breve tempo, reter a ação de prosseguir, Meditar para reavaliar, reavaliar a forma de sentir! Renascer das cinzas, qual fenix que renasce... Abre os olhos e aquece um corpo frio que fenece! Recomeçar em ponto e virgula, Reorganizar os pensamentos, vacilar, sem desistir, trocar ou mudar os sentimentos! Arrancar do peito a dor, que lhe deixou um velho amor! Transformar o verbo amar, Em verbo recomeçar... Sentir que tudo vale a pena, diz o poeta : Se a alma não é pequena! Mudar velhos pensamentos em bons e novos sentimentos. E sem medo da entrega, abrir os braços a um abraço, fechar os olhos para um beijo e entregar o corpo ao desejo. Agradecer o coração, por permitir a emoção, de viver e de sentir, uma grande e nova paixão. Sandra Botelho

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...