sexta-feira, 22 de junho de 2012

Dança de ilusões

Ao longe ouço a musica que toca...
É leve , é breve como o canto doce
do sabiá que me desperta...
Lá fora, ao cair da chuva, 
o tilintar das gotas me enleva, me faz sorrir!
Ouço então o som doce de uma voz distante...
Embalada por uma canção de sonhos
eu danço, 
me solto em pequenos e suaves passos...
Num balé de sonhos e sorrisos...
E nesse momento suave e cintilante
é a ti que abraço, que beijo, em quem me enlaço...
Um perfume me embriaga, e enlouquece...
e teu gosto me faz delirar...
Sabendo que vou despertar, aperto os olhos numa teimosia inutil...
Pois o sol começa a jogar raios de realidade e razão em meu rosto
e faz minhas lagrimas queimarem minha pele.
Então...Abro os olhos e desperto...
De um sonho que um dia imaginei ser real !

Sandra Botelho

domingo, 10 de junho de 2012

O que foi verdade...


Foi quando percebi que por trás daquele sorriso se escondia a maldade
Por trás de um olhar doce morava a crueldade
por trás de uma criatura iluminada, vivia a escuridão.
Foi quando percebi, que tudo era ilusão
Pesadelo travestido de sonho
Falsidade vestida de verdade
Deslealdade que se fazia  leal.
Foi então que percebi que foi tudo mentira
e naquele momento meu coração se calou
se fez silencio, pois por tantas vezes me mostrou 
o que minha mente não quis aceitar.
Não soube ouvir, não soube entender...
E o coração, massacrado e triste, sufocado de dor
Hoje  está engatinhando rumo aos braços de um novo amor...
Sandra Botelho



segunda-feira, 4 de junho de 2012

O silêncio de uma canção


Ó doce canção de amor...
De onde vens?
Não vês que enches meu coração de dor?
Faz-me lembrar aquele infinito amor...
Cessa tua melodia...
Deixe que venha em mim o  silencio...
E me traga novamente o dia!
Ó triste escuridão, que me anuncia esta canção...
Cala-te! Deixa que novamente sorria meu coração!
E nessa caminhada de silencio e dor
Ainda me pergunto...
Por onde andará aquele amor?

Sandra Botelho


Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...