quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Ecos e Ruinas

Ela percebeu que algo dentro de si havia mudado.Não lhe cabiam mais sentimentos de outrora,o velho fulgor juvenil, saira de seu peito fora embora á décadas...Partiu sem deixar vestígios, sem lamúrias,numa tarde invernosa e escura...
O coração jazia em um canto, em compassos sem ritmo, em uma aceleração descendente.
O sangue em fluxo continuo, lhe queimava as veias,esmagava as artérias, calcinando pele, mente e alma
Lançada contra si mesma, ela se calou, feito flecha ao alcançar o alvo, que cala seu som sibilante!
Trancou em subitos devaneios todos os seus rumores de alegria, afogou suas fantasias ,em um mar negro e inerte...Nas profundezas de uma alma infecunda e amargurada, jaziam as poucas alegrias da infancia, já havia corrido atrás das borboletas, já brincara na mina dágua com os irmãos,já amara uma mãe que foi ceifada pela morte e um pai que a abandonara, alegrias que a pequena menina sufocou em uma dor latente...são ruinas...
e agora enxotada da vida, ela desmoronava.
Se acomodou, foi hospedeira por tanto tempo,
e nos anais da vida, debruçada no rol de entrada dos sonhos
ela se fez sombra...
Dependente e ardente, sempre quis o papel principal, mas ficou na coxia, observando...
Montando o cenario de outras vidas, aplaudindo de pé o sucesso que não era o seu.
Esperando sua estréia que jamais ocorreria, as luzes nunca foram pra ela,.os holofotes nunca a focariam,
ela pertencia as sombras...
Tomou por algozes todos que desbaratavam seus medos.
Dormiu em berço esplendido a pobre menina rica.
Ceifou da vida a desistência, a acomodação, a descrença, a inércia... e agora.... Ecos de uma canção de esperança apenas a assombram, lhe fervilhando em caldeira suas derrotas Ecos de uma canção cuja melodia eram seus sonhos, deixados para trás...encaixotados em um baú de desistência e rancor.
Jazem em algum canto, todas as sua melodias, compostas quando a felicidade e a inocência ainda eram alicerçados na esperança, na crença.. Hoje porem ela se liberta deles ; os derrama em pranto, e ela ; a senhora Desistência, a madame Renuncia, a Dignissima covarde, se cala e observa, como sempre fez, ininterruptamente. Em seu seio repousam mãos de covardes, em suas entranhas dores tatuadas e eternas... Sufocada e estrangulada em seus sonhos, ela morre lentamente...
Pobre menina pobre! Sandra Botelho! "Quando o mundo nos abandona, a solidão é suportável, mas quando nós mesmos nos abandonamos, a solidão é intolerável" Augusto Cury Nunca se abandone!

42 comentários:

Majoli disse...

Nossa que triste isso minha doce Chocolate.
Finalizou da melhor maneira, pobre menina pobre.

Parabéns pelo texto, você nos leva junto.
Beijos de saudades.

Daniel Savio disse...

Descordo um pouco, pois sou adepto da filosofia enquanto houver vida, haverá esperança...

Fique com Deus, menina Sandra Botelho.
Um abraço.

Livinha disse...

Onde não houver esperança, a silidão toma conta no vazio que se lhe inflama.
O mundo jamais nos abandona, nós que abandonamos o mundo...

Sandra lindo o texto.

Feliz fim de semana pra ti

Bjs

Livinha

Marilu disse...

Querida amiga, lindo e triste texto..muitas vezes a riqueza aparente, e a pobreza da alma...Beijocas

Sergio disse...

... Como põe, o coração em tudo q faz, as vezes seus textos me deixam num estado meio aflitivo, tendendo a pensar q escreves no presente.

Espero que eu esteja enganado, porque escreves cada vez melhor, moçoila.

Parabéns!

Daniel Costa disse...

Sandra

Porque haverá sempre alguém com uma mão cheia de sonhos e não tendo a coragem de os concretizar, a tua prosa poética passa por foros realistas. Por bem delineada, amei.

Ah, ainda não dei uma saltada ao teu Brasil, mais em consequência de o meu milagre, não ser ficção. Espero ir, antes tenho de consultar o meu médico, para saber se posso movimentar-me bem em clima tropical, quente como é o de São Paulo, por exemplo. AS amplitudes térmicas contundem com a minha patologia de estimação. Espero vir a aceitar um café de ti!
Beijos

Ricardo Calmon disse...

Impossível zangado estar ou de mal ficar,impossível te abandonar,pois je táime minina achocolatada hummmmmmmm!
te loviu

smaaaackkkkkkkkkkkkkkkkkk

adrei o post,vais acabar virando colega minha,

smaaaaaaackkkkkkkkkkkkkkkkk

Assis Freitas disse...

não se deixar ao abandono, todo ser precisa de brilho e intenso,

beijo

SAULO PRADO disse...

Pobre não é a menina e sim os corações que ela fascina...

Beijos e te quero sempre feliz....

REGGINA MOON disse...

Sandra,

Um texto triste, porém repleto de sentimento e realidade...

Um grande beijo e bom final de semana!!

Reggina Moon

Mari Amorim disse...

Oi Sandra,
Gostei muito,parabéns pela postagem
Boas energias,
Mari

Sonhadora disse...

Minha querida Sandra
Tocante...emocionante e muito bem escrito.
Pobre menina pobre....adorei.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Hod disse...

Olá Sandra,
Embora comovente, seu texto empresta tristeza, em algumas passagns doloroso, mas sempre existe a possibidade da superação.

Bom fim de semana com muitas bençãos

beijos querida amiga.

Sonia Pallone disse...

Aqui os textos têm vida e os sentimentos fluem, à flor da pele... Lindíssimo, embora triste. Um beijo linda.

Elaine Barnes disse...

Adorando sua fase de contadora de histórias. Textos lindos,detalhados e repletos de sentimentos. Embora tristes muito bem descritos,pois a vida tem suas tristezas que marcam e compartilhando,nos identificamos aqui e acolá podendo perceber que passamos por esses momentos,mas chegamos a algum lugar.A caminhada continua quando não nos abandonamos. Amei ! Montão de bjs e abraços de PARABÉNS

Everson Russo disse...

Belissimo, dolorido e muito intenso o texto,,,e o interessante o fechamento com o Ha Tempos do Legião, que por coincidencia, tá tocando agora aqui em casa...rs..rs..rs..."ha tempos o encanto está ausente e há ferrugens no sorrisos", muitas vezes nos perdemos pelo mundo assim,,,nossos sonhos morrem,,,ficamos sufocados por tantas e tantas coisas,,,,e nossas borboletas por fim,,,,se perdem no infinito dos desejos,,,,beijos de lindo sabado pra ti querida.

euemmim disse...

Oi querida Sandra...
Que texto heim???????

Não conseguia respirar....a gente viaja junto....

Vc escreve divinamente!

tem um mimo pra vc no meu blog,passa lá pra pegar....
bjos querida escritora e poetiza!
Zil

reltih disse...

muy bueno tu relato. me gusta mucho lo oscuro.
besos

Anita disse...

A frase se Augusto Cury nada mais podia ser verdadeira. Temos que nos amar e sentir bem connosco próprios para o sermos com os outros.

Beijinho*

Everson Russo disse...

Beijo carinhoso de bom domingo e uma linda semana pra ti querida.

LegalJunior disse...

oi.. obrigado pelo comentário carinhoso!
seu blog está cada dia mais bonito..
o texto é tocante d+++
acredito q sempre há esperança...

fik com Deus

bju achocolatado!!!

! Marcelo Cândido ! disse...

Essa música é linda
!!!

meus instantes e momentos disse...

Oi amiga,passei uma noite de amor,uma madrugada de continuidades,
de desejos e sensações
e tentei transcrever em poucas linhas essa noite inteira.
Apareça
e tenha uma ótima semana.
bjs. pra vc.
Maurizio

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Minha querida Ternurinha! Os seus poemas andam tão tristes, porém Lindos! E eu lhetrouxe aquele que é a sua carinha!

Amor graça e travessura

No rostinho cor de pêssego,
duas sedosas romãs
olhos belos e profundos
como grandes avelãs

um enigma , mil segredos
embalsamados em pudor
" Nada a ver, qui namorar!!!"
Fulminou mais um amor!

leve sandália rasteirinha
estojo de brillho labial
leu outro romance top ten
agora diz que tem Know - How

esta bela musa de Nabokov
faz charme, um muxoxo,
joga os cabelos
menina, quem não se encanta contigo?
quem resiste a seus apelos?

Poema enviado por Davi Cartes Alves
+++Beijos********
Bom Domingo, porque durante a semana a gente se vê.

Vera (Deficiente Ciente) disse...

Olá Sandra!
Lindo texto! Tocante e muito sensível. Parabéns!

Uma ótima semana para você, querida!

Beijos!

Braulio Pereira disse...

Sandra querida

enlaço-te com flores do meu jardim
nossos corpos num abraço
num saciar sem fim
beber teu melaço..

ninguem te abandona viu!!

beijos doces e melaço!!!

doce noite tenura!!

Wanderley Elian Lima disse...

Se a esperança vai embora, a solidão e a tristeza tomam conta.
Beijos

Manuel disse...

Belo e sentido texto.
O fulgor juvenil partira há décadas mas ficou a coragem de vencer.
Quando a menina se tornou MULHER conseguiu libertar todas as angustias que a acompanhavam e soube ser digna de si própria.

ONG ALERTA disse...

Acredito que sempre haverá um caminho a seguir, paz.
Beijo Lisette.

Mariana disse...

Texto com emoção e forte.
Desistir nunca, até podemos ter momentos de desânimo,mas é preciso seguir em frente, ir em busca das conquista,pq a vida é bela e única.

Sonhadora disse...

Minha querida
Passando para agradecer o teu carinho de sempre, e deixar um beijinho.

Sonhadora

Juliana Lira disse...

Sandra

Vou me lembrar disso!!! Texto muito belo, não achei triste, achei forte.Mas é disso que precisamos, de algo que nos faça reagir e nunca nos abandonar!!!

Ps: Obrigada pelo carinho no dia do meu niver, vc é muito especial garota!

Milhões de beijos

Fátima Guerra (Mellíss) disse...

Querida Sandra

Você é uma dessas pessoas que deixam saudade.
Seus textos são especiais, escolhidos com cuidado e sensibilidade.
Há energia e ternura ao seu redor.
Vim deixar um beijo de domingo, desejando alegrias inesperadas nos caminhos.
Fátima Guerra

Fatima disse...

Nunca se abandone!
Nunca minha amiga, nunca!

E ai? Os probleminha para comentar lá no blog acabaram?
Bjs.

Vozes de Minha Alma disse...

Um texto real e bem escrito com tudo que leio aqui.
Tu coloca teu coração e tua alma. É isso!
Um abraço e um beijo do teu leitor, viu Sandra?

Everson Russo disse...

Uma otima segunda pra ti amiga,,,paz e carinho numa linda semana...beijos achocolatados como voce diz...

Machado de Carlos disse...

Sandra,

Você sempre me emociona com suas crônicas que espargem à nossa alma uma alegria constante. Obrigado por nos presentear com tantas e belas palavras.

Beijos Achocolatados!

José disse...

Olá menina Sandra!!!
Só pode estar tristinha, para escrever um texto assim tão lindo, mas tão triste

O menina não fica assim
assim tão tão tristinha
se tiver triste pensa em mim
e ficará menos sozinha

beijinho,
José.

Phivos Nicolaides disse...

Ola querida amiga!

claudete disse...

Belíssima inspiração só que na medida em que as descobertas foram sendo feitas e assimiladas e a vida ainda pulsava ...não havia mais pobreza...Havia riqueza em perceber realmente o que tinha a partir do que não mais era...A solidão dói ...Mas a força que impulsiona o continuar a viver sobrepuja a mesma. Beijos e obrigada por suas visitas .

Insana disse...

Algo dentro de mim. mudou, mais as pessoas continuam as mesmas.

bjs
Insana

Lidia Ferreira disse...

Parabens pelo texto , ele e lindo apesar de triste , mas o final e tudo
"Quando o mundo nos abandona, a solidão é suportável, mas quando nós mesmos nos abandonamos, a solidão é intolerável" Augusto Cury
Nunca se abandone!
bjs

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...