segunda-feira, 1 de junho de 2009

Amor

Ah... O amor, cantado em verso e prosa
deliciosamente em rosa,
em vermelho em cores quentes
em sensações ardentes
Ah... O amor,
que nos deixa de bobeira,
flutuando sem gravitação,
escancarando o coração!
Ah... O amor!
rima-lo-ia com dor
não existe rima certa
o amor é o amor...
Ah... O amor
Essa coisa doida,
que chega sem pedir licença,
causando angustia intensa!
Ah... O amor
Que os céus digam amem,
que ele seja só felicidade,
para os que amam de verdade!
Ah...O amor!
tão pluralmente definido,
liberado ou proibido,
porem jamais esquecido!
Ah... O amor!
eterno ou breve,
casto ou indecente,
quero amar de corpo e mente!
Ah... O amor!
esquecido por uns,
inesquecivel em outros,
mortal para alguns!
Quero uma rosa prá te dar,
quero um coração prá acariciar,
Quero o amor a me matar ,
um corpo doce a saciar!
Quero amar até morrer
mesmo que em meu coração
exista aquele amor
que se chama solidão!
Sandra Botelho

2 comentários:

SAULO PRADO disse...

Amar pelo amor de amar
é saber amar
Já amar por ser amado
é algo intolerável;
por isto, usamos o coração, para simbolizar o amor, pois, só assim conseguimos fugir da razão...

Sei que este meu comentario, não tem nada a ver, com o seu lindo poema, mas é o vicio, quando a expiração vem, tenho que me explessar, e seu blog é uma overdose de expiração, pois, você sabe destilar as palavras como poucos...

Beijos e seu coração...

Paula disse...

Ah o amor.....


O amor......


amor....

Que sentimento inexplicável, que por mais que se ditam palavras para definir, incógnito por si nunca fica claro tal definição.

Belas palavras, Sandra, que só uma pessoa amada, amante, que transborda amor para todo mundo, o amor que recebe de todos os lados.
Beijinhos

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...