terça-feira, 4 de maio de 2010

Caipirês

Bem contente tava o moço, Que dispois de muito andá, Conseguiu na catirada, Uma bela mula,lhe tirá. Ele que era muito simprão, Fez aquilo na emoção. E o outro muito esperto, Era além de tudo largão. Viu sua viola em caco, Quando oiô na estrada, O cabrão levando imbora, Sua mula acabrunhada. O pisódio desse homi, Não ficou por isso não. Enquanto o prato ele surtia, Na cabeça dele, um furdunço firvia. Seu fio, que na capitá estudava, Ainda nos negócio não parpitava, Graças ao emborná da sabeduria, Um dia, administrante ele seria. Prá mudá o rumo da prosa, Vou falar um pouco da Rosa: Sua muié, sua amada, Sempre cum ele na matinada. Essa não entra na catira, Num tem preço que pague essa muié, Deiz anos com ele namorano, E a coitada ainda lhe qué. Vortando ao tal do negócio, Que levou uma manta danada, Quiz ir atrás do disgraçado. Decidir essa catirada. Queria ver o tar do macho , Que aproveitou do seu deslaxo, Metê o carcanhá na bunda, E sumir por esses morro, Com a mula na carcunda. Mas essa narquia não é coisa que se faça, Vortá atráis da palavra dada, É realmente uma disgraça. Fica mar prá ele na praça. Pensando bem já tava empapuçado, De falá nesse negócio. Decidiu deixar de lado esse furdunço, É mió num cutucá esse jagunço! Toca pá diante esse assunto, Chega de chorero atoa, Mió ele envorvê com aRosa... Que é coisa mió de boa. Sandra Botelho

28 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, este seu poema, se for dito por quem saiba, deve ficar belíssimo.
Gostei muita da forma popular (caipirês?) como escreveu a história.
Beijos.

Amordemadrugada disse...

Sandra
desapareceu de mim, amiga!?
Boa semanita
besito

Elaine Barnes disse...

Uai! Foi o cê que escrivinhô isso? Mininaaaaa!!!Pois eu vô lhe dizê,
O cê é uma puetisa que bota pra fervê.Vai da Rosa do caipira ao furdunço que firvia sem lhe fartá sabedoria e prosa pra iscrevê!
Montão de abraços e bjs pro cê

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Mais um de seus dons que não conhecia.
Teu caipires tá fantástico!

Beijo, moça

C@urosa disse...

Olá minha inteligente e bem humorada amiga Sandra Botelho, você sabe, de forma magistral, trabalhar com as palavras, ficou muito lindo o seu caipirês.

paz e harmonia,

forte abraço

C@urosa

Daniel Savio disse...

O amor sempre é melhor assunto...

Fique com Deus, menina Sandra Botelho.
Um abraço.

Adolfo Payés disse...

Que hermoso es pasar de nuevo por tu espacio..

Un abrazo
Con mis
Saludos fraternos de siempre..

Amor feito Poesia disse...

A menos que me calem os anjos da noite,
terei eu sempre uma palavra de amor para distribuir,
não que seja eu a dá-la de mim a outros corações,
posto que não seria eu capaz de tal proeza,
porem estou certo de que Deus fala por mim,
não por ser eu digno de tal distinção,
mas por ser Ele, aquele que sempre me busca!

Santaroza


Boa Tarde.......Beijos & Flores!!

Fatima disse...

Olá querida Sandra
-quanta ternura !
É uma delícia vir aqui.
Bjssss
Mell

*Mi§§ §impatia* disse...

Muito bom, adorei......
Beijos querida.

Fatima disse...

Bom dimais da conta sô!
bjs.

reltih disse...

muchos besos para ti.

ღPat.ღ disse...

Oxê... quiçá qui tá muitio bom... heheh

Lindo amiga amada minha.
Saudades de ti,
Beijos e Beijos...

Felina Mulher disse...

Vc é uma Gêniaaaa...kkkk...lindo o caipirês.

Segui teu conselho, dei um Xô na tristeza.


Um beijo Sandrinha.

Fátima disse...

Ô muié, mió que seu poema, só memo envorvê com nosso amor...que é coisa mió de boa !!!!!

Sandrinha, adorei!

Beijinho.

angela disse...

Adorei seu caipires e seu caipira arretado.
beijos

Alécio Souza disse...

Olá minha querida amiga, td bem? Fico extremamente feliz qdo os meus textos ou poemas trazem algo de bom para as pessoas! Eu tbm estou tentando sair do comodismo pq isso não faz bem pra ninguém!
Bjs doces, Alê

Sonhadora disse...

Minha querida
Adorei este poema, na maneira tipica de falar...lindo

beijinhos

Luna Sanchez disse...

Que bonitinho, escrito assim. ^^

Beijo, beijo.

ℓυηα

Sueli disse...

Mais óia só, qui danada é ocê, tamém sabi falá caipireis e num contava nada pra nóis. Pricisamo nus incontrá prá mor de papear. Ficumdeus! Bejim!

L'amant disse...

Que delícia de poema...
Lembrei de bons momentos da minha vida. Parentes no campo.
Beijos nessa alma mineira.

L'amant disse...

Que delícia de poema...
Lembrei de bons momentos da minha vida. Parentes no campo.
Beijos nessa alma mineira.

Majoli disse...

Eita que coisa linda essa poesia Caipirês, amei por demais da conta, ocê bota pá fervê...rsrs.

Só você mesmo minha querida amiga pra conseguir fazer algo tão original, adorei.

Quero te fazer um convite, vem comer um pedaço de bolo comigo e brindar com uma taça dechampagne, é aniversário do Rabiscos, 1 anos de vida, e você não pode faltar, vem correndo que estou ate esperar.


Beijos cheios de saudade.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

E esse poema tá pra lá de bão,sô. Beijos,Sandra

Everson Russo disse...

Delicioso esse caipires...é gostoso ouvir isso,,,sentir,,,ler....o tamanho do nosso Brasil....e do coração das pessoas....beijos de lindo dia.

João Videira Santos disse...

Li, reli e, apesar de termos linguisticos muito próprios, gostei!

Manuel disse...

Achei fantástico este poema.
Tive alguma dificuldade na leitura mas, interpretei e fiquei deliciado.
Há como que um cantar que nos embala e nos leva.
Magnifico.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga! Passando para retribuir a visita e apresentar minhas desculpas pela minha ausência. Infelizmente, motivos alheios à minha vontade me forçaram a isso. É que perdi uma parte viva da minha história, mas a vida continua. Espero mais uma vez, contar com a sua valiosa compreensão.

Abraços e fique com DEUS.

Furtado.