terça-feira, 5 de outubro de 2010

Clausura

As portas continuam abertas... O pássaro que antes dormia em um canto frio da gaiola,
sente um pequeno filete de sol a aquecer tuas asas, já quase sem uso e frias.
O coração do pequeno pássaro pulsa com tanta força que chega e lhe tremer o corpo todo.
E ele vagarosamente se dirige ao alto da gaiola,seu olhar pequenino e tímido vê,com um temor mórbido o sol que brilha lá fora,
observa que outros pássaros voam, lhes inveja a felicidade e a leveza do voo.
A liberdade...
Quer voar, quer ser livre, a porta continua aberta, mas as grades ainda o mantem aprisionado.
O passarinho timido se recolhe novamente, aprendeu a temer o desconhecido.
Cortaram-lhe as asas, mataram sua coragem.dilaceraram seus sonhos.
Não voe passarinho, podes ser a presa de algum pássaro maior...
Não alcançarás a mesma altura dos outros...
Cala-te não cante, que teu canto é feio...
Sufoca em teu peito o desejo de aventurar-se, não és corajoso o suficiente.
Tens aqui o que precisas, seu alimento lhe basta.
Um teto que te aqueça e proteja de sofreres perseguição...
Pare de sonhar, sonhos são para os fracos...
Tudo isso o entristecido passarinho recorda por muito ter ouvido.
Ele com vagareza e dor, se recolhe ao canto da gaiola...
As portas estão abertas, mas ainda lhe falta a coragem do voo...
Sandra Botelho
Esta semana estou no Bloggirls

54 comentários:

*Mi§§ §impatia* disse...

Oiê!!!!
Estou de volta e com força total.....
Como vc tá? Muitas saudades de passear por aqui......espero que também esteja com saudade dos meus cantinhos. Te espero ok?
Beijos no coração.
Miss.

*Mi§§ §impatia* disse...

Oiê!!!!
Estou de volta e com força total.....
Como vc tá? Muitas saudades de passear por aqui......espero que também esteja com saudade dos meus cantinhos. Te espero ok?
Beijos no coração.
Miss.

Regina Rozenbaum disse...

Aqui ó...tudo bem que vc colabora em muiiiiiito prá minha exuberância, engordar minh'alma, mas tripudiar nauuuummmm vale rsrs Corre 10km por dia????? Então tá né? Vou correr daqui!rsrs
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Marilu disse...

Querida amiga, somos muito parecidos com os pássaros, muitas vezes estamos engaiolados mesmo com as portas abertas, não temos coragem de sair. Pois o mundo nos assusta. Mas mesmo com as asas cortadas temos que alçar vôo e partir em busca da felicidade. Adorei. Beijocas

Marilu disse...

Querida amiga, somos muito parecidos com os pássaros, muitas vezes estamos engaiolados mesmo com as portas abertas, não temos coragem de sair. Pois o mundo nos assusta. Mas mesmo com as asas cortadas temos que alçar vôo e partir em busca da felicidade. Adorei. Beijocas

ღPat.ღ disse...

Este blog é 'nosso' aconchego!
Lindo demais teu sentir amada.
Beijão

Amor feito Poesia disse...

De esquecer que um dia eu tive dor e agonia!

Perpetuando sempre esse amor na mente!...

Betânia Uchôa


Saudações Poéticas! Beijos no coração!!M@ria

Wanderley Elian Lima disse...

Seu texto é muito significativo. Têm pessoas que não sabem serem livres, acostumaram em ser dependentes que são incapazes de caminharem sozinhas.
Bjux

Everson Russo disse...

Mesmo se ficar muito tempo preso,,,esse passaro é o amor,,,ele sente o desejo da liberdade,,,quando ele descobrir que o infinito é o limite dos sonhos...vai alçar grandes voos....beijos querida e um dia lindo pra ti.

Fernanda disse...

Amiga Sandra!

Quando vi a imagem veio-me logo à mente o livro Caged Virgin de Ayann Hirsi Ali que li há pouco tempo.

Há mulheres angailoadas, SIM!!!
Há mulheres sem sonhos, SIM!!!

Há mulheres fortes que quebram as grades, mesmo sob pena de tortura ou morte.
Há mulheres que não se submetem, há SIM!

Obrigada pelo poema que é um grito de liberdade.

Beijinhos

Fernanda disse...

Amiga,

Espero que tenha entrado com o minha senha e não com o do meu filho :))))

Quando me fiz seguidora reparei que ficou ele e não eu.
Usei a sua senha há pouco para mudar a playlist do seu Blog :)))

Não faz mal, ele vai gostar de a conhecer também.

Espero que agora entre eu ... mesma.
Ná da Casa do Rau

Beijinhos

Fatima disse...

Eu acho que conheço este passarinho!
Bjs.

Luciana Klopper disse...

Liberdade, as vezes tem preço né?

João Lenjob disse...

Muito interessante seu blog!! Aguardo sua visita no meu, http://lenjob.blogspot.com uma vez que o atualizo todos os dias e sempre com cinco novos poemas meus.

João Lenjob

De Lado
João Lenjob

O meu olhar
Não é para enlouquecer-te como o teu me faz
E sim para apreciar teu corpo e teu rosto
E molhar com a reciprocidade de tua atenção
Desencadear todas as convenções
Dar riqueza ao horizonte que fazers mais vivo
E meu olhar mais inerte, concentrado
Não estais de lado.

O teu olhar
Foges tão tímiodo do que é tão evidente sim
Mas não se comrreponde ou se está a fim
Não sei se é curioso ou se atenta em mim, no meu olhar
Talvez procure enfim as tantas convenções
Mas não percebe a viva natureza em tua volta
O teu olhar peralta, desconcentrado
Não estou de lado.

Graça disse...

Sandrinha,

minha ex-vizinha que foi embora pra sampa...rs

Amo você demais, viu? Obrigada pelas visitas achocolatadas...muito doces e agradáveis sempre!

Meu Deus, que poema sentido...essa metáfora cabe a cada um de nós, amiga...todos sofremos desse mal,muitas vezes: desejamos a liberdade, mas infelizmente falta-nos a devida coragem para tanto!

Parabéns, li como se escorresse chocolate por todo canto de minha boca...preciosidade...acho que é porque estou vivenciando esta situação*, neste momento de minha vida!

Amiga, como poeta perfeita que sabe que considero você, quero pedir que veja um soneto meu, que rabisquei...quando puder, e se der, viu?

ESPERA está no meu blog dos Botões, logo abaixo da postagem do Projeto.

Beijos,

e olha, eu disse à Majoli que estou prestes a me mudar pra sampa ou S.José!!! Bingo, em qualquer das duas situações.
Esteja com Deus minha linda poeta amiga.

reltih disse...

a muchos se les hace difícil emprender vuelos, hasta con alas demasiadas emplumadas.
sabes? me encantas mucho y lo digo desde adentro. admiro mucho tus pensamientos y tu belleza.
besos

Luna Sanchez disse...

O medo aprisiona, machuca...mas só a ação cura, disso não tenho dúvidas.

Beijo, beijo.

ℓυηα

Tô Ligado disse...

Ei Sandra.. fimdi com feriadao eh otimo p sair da clausura!

Bju

Nilson Barcelli disse...

Tal como os pássaros, o Homem também aprende a prender-se a preconceitos e medos.
Um interessante paralelismo, do qual resultou um magnífico poema.
Beijos, querida amiga.

Machado de Carlos disse...

Fico sempre contente com a sua visita ao meu Lar. Aqui você pode sentar-se e ficar a vontade. Aqui não existe a gaiola. Você nunca ficará presa. Então contar-lhe-ei uma História, posso? — Por favor, não durma! (Risos!...).

Um pássaro azulado estava preso em sua gaiola. A única comunicação com o mundo era um pombo correio-correio, que todos os dias, sem falta; passava por lá e lhe trazia notícias. Através dessa ida e vinda de correspondências uma linda pássara encantada conheceu o pássaro azulado. Ela conhecia apenas a sua letra. Adorava a letra do pássaro. Começou a lhe entregar, diariamente, muitas cartas. Nas cartas nunca deixava de elogiar as idéias do pássaro, preso na sua gaiola particular. De outro lado o pássaro não entendia bem aquele volume de cartas que entortavam o bico do amigo pombo-correio. Pudera, a passarinha escrevia coisas lindas! O pássaro foi gostando dessa idéia e se sentiu cativo de tantas cartas perfumadas. Certa vez, como prometera, a pássara encantada apareceu por lá. Apaixonaram-se. Foram felizes! Bem, a pássara era nômade e tinha a sua natureza. Contra a natureza não se deve lutar, não é? O pássaro azul também tinha a sua natureza, porém, era preso. A pássara encantada foi-se. Tinha lá outras visitas. Nunca mais deu trabalho ao pombo-correio, que todo dia chegava com o seu bico praticamente vazio. Só restava ao pássaro escrever mais cartas a esmo. Sentia a falta da pássara. Chorava, chorava, chorava!...
Hoje voa livremente no Além-túmulo!

ONG ALERTA disse...

Fuga e voe o mais alto possível, beijo Lisette.

Machado de Carlos disse...

A História (com H) é verídica. São amores que conhecemos na Internet e se tornam realidades. Mas a pássara tinha lá seus compromissos. Mas tudo ficou gravado em um álbumm de fotografias.
Obrigado por ler-me!
Beijos com chocolates.

Zil Mar disse...

"Pessoas especiais como você,
tem braços de infinito..."

bjos querida!


Zil

Vozes de Minha Alma disse...

Gostei do seu comentário sobre Carma. Só fiquei surpreso em saber que voce é cristã evangélica.
Isso é muito bom e louvável.
Quanto ao poema, lembrei-me de uma apreensão gigantesca que a polícia florestal fez, salvando centenas de aves que criminosamente eram levadas de um estado para o outro em tubos de PVC!!! NEM PRECISO DIZER QUE MUITAS DELAS CHEGAVAM AO DESTINO MORTAS!
Bem, deixo para a amiga, inspirado no teu poema e coincidentemente após assistir ao regate dos bichinhos, esse poema:

O Pássaro

É muito triste e tão doloroso
Ver um passarinho engaiolado...
Seu azar foi ser muito formoso,
Hoje o céu lhe foi todo negado...

Canta agora triste o bichinho
Para o algoz orgulhoso agradar
Canta um choro triste sozinho
Pra quem sabe o algoz escutar.

Todo céu era um livre espaço
E bem longe, o céu alcançava!
A maldita armadilha foi laço,
E num instante o céu acabava!

Predador ser humano e atroz...
Que faz do bichinho inocente
Moeda corrente do algoz
Do tolo, bandido inclemente

Debatendo-se na gaiola em vão
Os arames lhes estão a barrar...
É triste não ter salvação;
Sem ter como ali escapar

Bicho homem imagem de Deus?
Seu filho não quer enjaular
Mas sendo os filhos de Deus,
O homem no céu quer voar!


Bjs, abraços.

Maria Rita disse...

Tão real que me chega a doer, e penso em quantos rostos poderiam caber neste singelo passarinho.

Perfeito! Obrigada pela visita, sigo aqui tb.

Beijos pra ti moça

Phivos Nicolaides disse...

Que pena, um lindo pássaro na gaiola. sem o pássaro! Bjos achocolatados

Braulio Pereira disse...

voa alto cantando
luz do meu olhar
eu tanbem vou voando
sem ti nâo posso estar

obrigado pelo teu carinho



beijos doces!!

Daniel Costa disse...

Sandra

Sempre o belo poemas, poréM desta vez resolveste dar umA volta ao texto. Lendo e mirando a ilustração da gaiola acima diria: O amor apresionado!
Beijos

Everson Russo disse...

Beijo super carinhoso de bom dia pra ti querida,,,muita poesia e muito amor...

Silenciosamente ouvindo... disse...

Sandra pois é nós e os pássaros.
Eu gostaria muito de voar...
Um bom texto.
Beijinhos amiga./Irene

José disse...

Olá Sandra!

Pois voa cá mais por baixo,sempre vais protegida com as copas das árvores, e os passaros grandes esses, voam sempre muito mais alto.
De qualquer maneira essa é uma opção que terás que tomar sozinha, tu melhor que ninguém sabe aquilo que é melhor, ou não!

beijinho açucarado, com votos de um bom dia, para ti e para mim.
José.

meus instantes e momentos disse...

é isso, a coragem do voo. A falta maior.
ótimo post.
Maurizio

Tatiana disse...

Muitas vezes nos acostumamos a viver de um forma e de um jeito e nos esquecemos de olhar a vida por outros anglos e prismas.
Para voar é preciso coragem... E para termos coragem, muitas vezes precisamos de um incentivo!
Os passaros quando estão nos ninhos, aquecidos e alimentados pelo amor de sua genitora, tem medo de arriscar o voo, mas após o incentivo ele percebe que a liberdade tem o seu valor.

Nunca desista de alçar os seus voos!

Beijos com meu carinho

Vozes de Minha Alma disse...

Minha querida, volto para dizer que o poema "Teu Sabor" é teu, com certeza.
Um abraço, bjs achocolatados.

PauloMitchell disse...

Bom é receber comentários desses.
Gostei desse seu post. Sonhe sempre!
Beijo *

Saulo Taveira disse...

Temos asas para voar... e o amor nos liberta, nos abre as asas, expande a consciência e imaginação.

Gatona, não consegui o teu e-mail para enviar-te o texto. Me passa depois?

Beijos.

Alvaro Oliveira disse...

Olá Sandra

Lindissimo texto para descrever a clausura em que nós próprios nos
sentimos quando nos tiram a liberdade de voar, de expressar
o quanto nos faz sofrer.

Beijos

Alvaro

Walério Gomes disse...

EU ADORO O SEU BLOG... SEMPRE ESTOU AQUI PARA DAR UMA OLHADINHA

BEIJOS

Amordemadrugada disse...

Enviando luzinha Sandrita!
Que tds o enclausurados possam abrir asas!
Beso amiga

Juliana Cândido disse...

Texto lindo, como tu que vc escreve são maravilhosos, sentimos ate um calor na alma...
Estas de parabéns amiga

Passando pra deixar beijos fraternos e um desejo de uma excelente noite!!

bjs JUH

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Quer voar, quer ser livre, a porta continua aberta, mas as grades ainda o mantem aprisionado"
queria isso como poesia e certezas e vivências...liberdade

Manuel disse...

Fechar a asa é tirar a liberdade. Mesmo com todos os perigos, o pássaro, prefere enfrenta-los desde que possa voar e ser livre.
Tirar a liberdade é cercear a vida.
Bonito texto.
Bom fim de semana.

Insana disse...

"Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças"
Charles Darwin


Bjs
Insana

Lou Albergaria disse...

É MESMO! O medo é que nos paralisa, não a falta de asas, pois estas podem ser improvisadas, adquiridas, mas a coragem precisa estar dentro de nós; precisamos sentí-la e acreditar nela para conseguirmos executá-la.

Que belo post! Parabéns!

Depois, por gentileza, venha ao LOBA DE RAY BAN ler meus dois últimos textos e me diga sua opinião.
Sua opinião faz diferença pra mim.

Obrigadão!!!

Lu

Manuela Freitas disse...

Olá Sandrinha,
Triste isso de pássaros em gaiolas, pássaros sem sonhos...mas há se há!...
Todos os pássaros ficam tristes sem liberdade e perdem a capacidade de amar!
Muitos beijinhos para ti,
Manú

Alguém... disse...

vamos voar bem alto.

Beijinho*

Rosemildo Sales Furtado disse...

A liberdade é primordial para a vida. É um bem que não deve ser tirado de ninguém.

beijos,

Furtado.

ErikaH Azzevedo disse...

Aoro essa temática de vôos e céus menina e passarinho que não vive em liberdade, vive pela metade...não se esqueça disso minha flor.

Bjo meu.

Erikah

Everson Russo disse...

Beijo carinhoso de lindo final de semana prolongado pra ti...

★David Rangel★ disse...

Valew pela visita!! rs
bjoo e muita paz
s2

Sergio disse...

http://www.youtube.com/watch?v=B7DVlC3kXrM

Mil vzs veja.

Beijo.

REGGINA MOON disse...

Sandra querida,

A clausura, para mim, é uma forma de se fugir da realidade...penso que seria bem mais fácil ficarmos parados ante aos acontecimentos e nos achando incapazes de ir a luta...mas nunca pude me dar a esse luxo...rs
Belo texto...como sempre!!

Grande beijo e tenha um lindo final de semana!

Reggina Moon

Daniel Savio disse...

Mas enquanto houver vida a esperançam então se pode sonhar sim...

Fique com Deus, menina Sandra Botelho.
Um abraço.

Sergio disse...

Era uma vez, no alto da torre mais inexpugnável de um castelo, uma princesinha muito voluntariosa. A guardá-la, além das alturas, o fosso mais profundo, apinhado de piranhas, jacarés, tubarões, um dragão gigantesco, que punha fogo até pelos olhos! E punha medo. Na superfície do terraço, entre o fosso o dragão e os muros do castelo, uma montanha de esqueletos dos milhares de cavaleiros que tentaram resgatar a princesa... Ambiente assustador. Um belo dia, um cavaleiro errante conseguiu, não me pergunte como, ultrapassar a barreira do fosso e do dragão medonho, sem se quer fazer uma vítima entre os animais guardiões famintos e ferozes... A princesinha acompanhou toda a aventura do alto da torre, mas acompanhou angustiada com dois dramas: se aquele bravo cavaleiro sobrevivesse, ele poderia subir até a torre e salvá-la! Mas - que inusitado – ela não queria ser salva! Pois nos longos dias e noites que passou prisioneira, ela pensou e pensou, e meditou e finalmente arquitetou o plano perfeito que a tiraria daquela masmorra luxuosa e confortável! Mas não havia como avisar o cavaleiro que, por ter triunfado sobre os guardiões do castelo, já tinha conquistado o seu coração. Nem interessava se seu salvador era um príncipe, um mendigo, um ancião ou um boêmio de classe média baixa... Fosse o que fosse, ele poderia libertá-la, e ela sabia bem disso e por isso, confiava. E então o cavaleiro, quando viu a princesa acenar da janela um “pêra que já estou descendo”, sentou-se na pilha de esqueletos e esperou, ouvindo um rock em seu mp3. ............ E como esperou. Afinal a princesinha precisava se arrumar...... Esperou umas duas horas e mais uns 5 álbuns completos do Led Zeppelin e toda a discografia do Frank Zappa. Mas uma hora elem disso, sentado na pilha de esqueletos, a pilha do aparelho terminou, exatamente quando a princesa apareceu. Linda! Eles se abraçaram, se beijaram apaixonadamente... E até que o cavaleiro não era um ogro... Deram-se as mãos... Mas quando iam seguir para a liberdade, o dragão acordou mais feroz que nunca, as piranhas jacarés e tubarões se agitaram mais famintos do que sempre, mas a princesinha mostrou a saída. Hipnotizou o dragão, este espichou o pescoço, fazendo dele uma ponte, por onde o casal atravessou. Então ultrapassaram o grande portão do castelo e estavam livres! Lógico que, mesmo depois de uma briguinha básica, pela demora em se arrumar da princesa, e outras rusguinhas mais, que só apimentavam a relação, eles foram felizes para sempre.

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...