segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Repulsa

Em um mundo tão comercial, de ínfimas propostas e produtos e tudo o que enche os olhos, talvez seja necessário que paremos pra refletir, até onde estamos indo com nossas necessidades, desejos, enfim com nosso consumo?
Vivemos na era mais informatizada da história,
somos bombardeados dia a dia, hora a hora , minuto a minuto por informações. Seria sensato analisarmos se tanta informação é mesmo cem por cento segura e verdadeira.
Será que realmente necessitamos mesmo de tanto consumo? Será que temos que trocar nosso celular por outro mais moderno, que nos ofereça mais recursos,?
Quando na verdade ele só nos é útil pra fazermos ligações, ou enviar mos torpedos?
Nunca presenciei ninguém sentado em sua sala assistindo a tv no celular.
Talvez seja para quando viajarmos, será?
No ónibus mal pega o rádio do celular.
No avião até onde sei ,não é aconselhável seu uso.
Alem do mais quantas vezes perdemos o sinal e nem ao menos fazer uma ligação conseguimos.
Será que nossa roupa tem necessáriamente que ostentar uma etiqueta enorme...Dolce Gabanna. Gucci, Colcci?
Não bastaria que nos caisse bem?
Que nos sentíssemos confortáveis? Será que realmente ter o carro do ano faz de nós pessoas mais felizes?
Alguns não passam um final de semana sem almoçar fora...Mas porque, pra que?
Se saimos e na maioria das vezes vamos a restaurantes de comida caseira,não seria mais coerente comermos em casa mesmo? Afinal não há melhor comida que a caseira não é?
Será que realmente temos que fazer sucesso , ter uma carreira meteórica para sermos valorizados?
Possuir o computador mais sofisticado? Uma casa onde não conseguimos nem ir a todos os cômodos?
O mundo nos empurra tudo. Aquele aparelho de ginástica que você nem precisa sair de casa...Que te faz ficar em forma em apenas dias, como?
Se levamos anos pra que exercícios de musculação definam nosso corpo?
São tantas as formas de as pessoas se venderem a um mundo tão comercial, a se escravizarem a consumos inúteis , que certamente depois serão deixados em algum canto da casa.Esquecidos e até enferrujados pelo desuso.
Enquanto se valorizarem as pessoas pelo seu poder de compra,seremos idiotizados meio a um mundo medíocre e absolutamente vazio.
Valorizar alguém pelo que tem de mais importante, o caráter, tornou-se banal e até ultrapassado.
Comprar, comprar e comprar...Este é o lema do mundo...E as agências de publicidade estão cada vez mais peritas nisso.Então acho que chegou a hora de nos perguntarmos...
Somos consumistas ou consumidos?
Consumidos pelo glamour, pelo poder, pela ganancia, pela fantasia de que valemos o que possuímos
.Simplicidade, tornou-se mediocridade, e o homem se afoga na sua ignorância dia a dia...
E com tanta liberdade se deixa escravizar a conceitos deturpados de valores.
E isso é triste.
Sandra Botelho

36 comentários:

SAULO PRADO disse...

Fundamental esta sua reflexão e a desigualdade que destrói uma nação...

AH! Não sei como colocar o templaste?

IsaBele disse...

Oi, lindinha!

Muito bacana esta reflexão. O capitalismo, o mundo pós moderno, faz com que sintamos necessidades de tantas futilidades, que precisamos sempre parar para refletir, ou então somos engolidos pela lei do consumo. Ou ainda pior, acabamos também nos tornando produto, consumíveis, descartáeis...

Grande beijo!!!

ps. Não consigo acessar seu blog do meu PC. Só aparecem as imagens... Snif!

reltih disse...

un sabio dijo una vez: "tantas cosas en el mercado, que yo no necesito"
excelente apreciación, se nota que eres una persona sencilla.
besos amor

Alvaro Oliveira disse...

Olá amiga Sandra

Adorei seu post, muito oportuno neste tempo de crise que se faz sentir por todo o mundo. Na verdade
somos confrontados com toda a espécie de informação, nos oferendo
produtos, que se reflectirmos um pouco, acabamos nos interrogando.
Para quê e qual a utilidade do produto?

Lhe deixo meu agradecimento pela colocação do meu poema em seu
blog. O neu OBRIGADOOOOO...

Beijos

Alvaro

ENCONTRO COM A POESIA disse...

OLHA sandra lendo o teu texto lembrei ,estes dias marido foi comprar um celular pra mim voltou chateado,porque eu não quiz um de TV,rs exatament eo que pensei ao ler o texto...
gosto das coisas simples e necessarias isso basta.
que bom que aceitou o convite e fico feliz de poder contar contigo poetisa,
estou levando teu link,volto qualquer dia pra buscar um poema teu pode?
bjs!

Assis Freitas disse...

o superflúo e o essencial



beijo

AC disse...

Sandra,
Adorei o post!

Beijo :)

Sonia Pallone disse...

Verdade, querida. É triste mesmo. Vivemos num mundo em que a verdadeira essência se oculta, envergonhada, sob o olhar inquisidor da sociedade. Um beijo, boa semana, levei seu selinho e postei no Solidão com muito amor.

angela disse...

Boa reflexão. Coisas demais, utilidade de menos, desigualdade demais. Uma calça que custa um salário mínimo, aparelhos que custam vários, para nem sequer serem usados.
beijos

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Parabéns pela visão humanitária Sandra.Concordo ocm tudo. Beijão

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Sandra
Essa sua imagem ilustra muito bem, como anda a miséria no mundo. O que mais me assusta é saber que o Brasil é o país que mais desperdiça comida no mundo. Todos os dias são jogadas toneladas de alimentos no lixo. Consumimos muito mais que precisamos por pura vaidade. Acredito que ainda há tempo para mudar as coisas.
Bjux

José disse...

Olá Sandra!
O teu post é muito oportuno e bem actual, eu acho que este cosumo desenfreado tem a ver que a comenicação social, é dos grandes grupos económicos, que nos bombardeiam com coisas que eles querem vender, e depois há os compradores compulsivos, que gastam o que têm, e o que não têm

Machado de Carlos disse...

Olá minha grande Amiga!

Desculpe-me por chegar agora! Desejo-lhe também uma belíssima semana.
Vim aqui pegar o meu chocolate. Uma delícia, principalmente preparado com sua ternura!
Realmente estamos em um mundo informatizado. Tudo parece mágico. O difícil é que nem sempre as pessoas estão preparadas para esta modernidade, pois ainda somos obrigados a ter muitos documentos na carteira, sendo que nossas digitais já estão grafadas no computador do governo. Eles digitalizam todos os nossos dedos e ainda nos obrigam a usar documentos. Rs
As ruas estão movimentadas. Quase todo mundo tem o seu carrão ou sua motocicleta.
Com todo esse deslumbre a maior empresa existente é o governo que dá uma garfinhada em tudo, graças aos impostos que pagamos.
Celular? Não tenho. Toda vez que você usa o celular paga uma porcentagem ao governo, se você toma sua cervejinha, uma parte dela o governo já a bebeu, etc.,
Até no meu chocolate ele dá uma mordida!

Fatima disse...

Brilhante texto Sandra!
bjs.

Sueli disse...

Verdade, amiga, acho que existe um grande exagero em tudo mesmo. Mas, por outro lado, fazer compras é tão gostoso..... né, não?...rs (sem exageros, claro). (precisa ir hoje no Fenixando, viu? Não pode faltar, tem festinha!)Beijo grande!

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, vc colocou o dedo numa das principais feridas da sociedade atual: o consumismo.
A humanidade está a consumir de mais.
Mais que a natureza pode dar.
Mais do que aquilo que pode consumir sem levar a sua família e/ou o seu país à ruína.
Foi por causa disso, aliás, que esta crise começou. Os americanos consumiam coisas (nomeadamente a habitação) que não podiam pagar...
Excelente abordagem, querida Sandra, Vc faz posts muito bons. Parabéns pela sua visão.
Beijos.

Pérola disse...

Fantástico seu texto,eu confesso a vc que ñ sei até que ponto essa modernidade pode nos fazer bem e até q ponto pode nos prejudicar,mas ñ é tão ruim assim se tivermos habilidade de lidar com ela coerentemente sem exageros e sem ostentação.
Ameiiiiiiiiiiiiiii.
Vc pode me fazer um favor?
Quando puder pode visitar o blog q sou madrinha?
Ele é uma gracinha e a dona maravilhosa.
Um beijo grande.
Obrigado pelo carinho da sua visita.
Beijokas.


http://entrefloresepensamentos.blogspot.com/

ONG ALERTA disse...

O justo e o injusto, a realidade é dura da vida, beijo Lisette.

*Mi§§ §impatia* disse...

Vc foi perfeita amiga, concordo totalmente contigo.
Linda semana, beijos.

*Mi§§ §impatia* disse...

Vc foi perfeita amiga, concordo totalmente contigo.
Linda semana, beijos.

Daniel Savio disse...

Infelizmente, somos homens e mulheres artificias movidos pelo ego do comum, mas que nem sempre nos trás felicidade...

E boa semana para ti menina =P

Fique com Deus, menina Sandra Botelho.
Um abraço.

Rosemildo Sales Furtado disse...

O pior é que quando a pessoa morre não leva nada, até a roupa, leva qualquer uma, isso se alguém o vestir, e ainda está passivo de ter colocado no seu túmulo (se tiver) com letras garrafais: "AQUI JAZ UM IDIOTA"

Belo texto amiga. Próprio para reflexão.

Beijos e ótima semana pra ti.

Furtado.

Marilu disse...

Querida amiga, a desigualdade entre ricos e pobres hoje é aviltante. Uns com tanto e outros sem absolutamente nada, riqueza muito mal dividida. Belo texto. Tenha uma linda semana. Beijocas

Everson Russo disse...

Como voce disse, somos tão bombardeados com tantas coisas, tantas informaçoes e atualizações de um mundo global,,e ainda existem tantas diferenças sociais....grande beijo de lindo dia pra ti.

Manuel disse...

Cara amiga:
Acho que conseguiu por o dedo na ferida com este alerta.
De muito cedo começamos no pior caminho e vamos deixando que as nossas crianças aprendam da pior maneira.
Como nos esquecemos.

CARLA FABIANE... disse...

bom dia flor amiga!

precisamos de tão pouco para sermos felizes de verdade.
bens materiais não são sinônimos de paz e satisfação.

sou a favor do mimino de conforto sem exageros.

um beijo, linda!

Luna Sanchez disse...

Às vezes dá saudade de um telefone que apenas faça e receba chamadas...sei como é isso.

* Essa imagem é uma das que mais me tocam, flor! Muito bem escolhida, viu?

Beijo grandão, ótima terça!

ℓυηα

Chica disse...

Um lindo texto e nele reflexões justíssimas... Há a distorção de valores... pena!beijos,tudo de bom,chica

Tô Ligado disse...

As discrepancias sao enormes. Cabe a nós mudar a mentalidade de nossos filhos se realmente quisermos um futuro melhor para o mundo!

Manuela Freitas disse...

Querida Sandra,
Que post heim!!! Concordo em absoluto com tudo o que dizes e já tenho abordado este assunto, de facto o capitalismo está a ficar desenfreado sem qualquer ética, levando as pessoas a uma total alienação e o planeta terra a uma destruição constante. Efectivamente é bom parar para pensar!
Beijinhos,
Manú

Zil Mar disse...

Oi querida Sandra...

Muito apropriado o seu texto para o momento atual...tomara que muitos reflitam sobre a digualdade que consome o nosso pais....e olhem pelo menos para o lado....e parem de ficar olhando o seu próprio umbigo.

Obrigada pelo carinho....



'Nuvens negras. Insistimos. Sobrevivemos'
‘E a vida existe e também é bonita. E se renova. Tem lados de luz’.
Caio Fernando Abreu

bjos amiga ,feita de luz!

Zil

Lidia Ferreira disse...

Minha amiga ,
maravilhoso texto ,verdadeiro e atual ,isso faz tanto mau qua ja virou doença
bjs

Flor da Vida disse...

Um texto oportuno... Uma reflexão muito importante! Querida parabéns pelo sábio e expressivo texto! Carinhos a ti... Bjsss

Everson Russo disse...

Uma belissima quarta feira pra ti querida amiga,,,beijos.

Marilu disse...

Querida amiga, tem um selinho para você no Devaneios, espero que goste. Tenha um lindo final de semana. Beijocas

Olga i Carles disse...

Estupendo texto.

Mil i una cosas innecesarias hace al mundo pobre en conciéncia.



Grácias.

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...