domingo, 7 de abril de 2013

Abismo


Foi quando ela percebeu que não havia mais nada a fazer...
perderam-se os sorrisos, a cumplicidade nos olhares.
Foi embora a confiança e a coragem se despediu do corpo...
Morreu o desejo,suicidou-se a alegria...
Nada mais se compartilhava, a não ser a dor.
Foi quando ela percebeu que a luta era em vão,
Que o amor estava órfão...
Que a vida já não era dividida...
As vitórias eram individuas .
E a felicidade virou cinzas...
Foi quando ela percebeu que não estava mais ao lado, mas 
Que caminhava atrás...
Que o orgulho virou vergonha e que agora, ela era nada.
Foi quando ela percebeu que jamais haveria perdão.
Que deveria matar a esperança...
Hora de seguir em frente, de se despedir .
Hora de buscar outros caminhos, plantar flores e não colher espinhos.
.Foi quando ela percebeu que não era mais amada...
Que era desprezada e odiada...
Que não era mais alegria, era um peso...Um fardo.
Uma triste figura.Uma lenta agonia....
Um erro que jamais seria esquecido,
jamais seria perdoado...Era hora de mudar!
Deixar de implorar, matar as esperanças,
deixar de ser criança...Endurecer!
Foi quando ela percebeu, que as palavras era duras...
carregadas de ódio e amargura.
Então foi ali, que pegou sua bagagem...
Ajuntou suas ultimas forças,
recolheu o que ainda havia de melhor dentro dela
e descobriu que a sua felicidade. não era responsabilidade de outro.
Somente dela... 
E foi por ai, ser feliz, por ela e para ela...
Olhou pela janela e viu que havia flores lá fora...
E seguiu seu caminho, sem medo, levando na bagagem somente o que fora belo.
Somente o que fora alegria, somente o que fora amor! 
E com as próprias mãos arrancou as dores...
Lá  vai ela, quem a vê passar se pergunta:
Porque será que ela chora...?
E ela em silêncio responde:
Para que as lágrimas, lavem  o caminho por onde eu passo
e não deixem nas pegadas de meus passos, nada de dor...
nem sofrimento...tampouco lamento. 
E ela promete:
Ali...Logo ali... Eu vou sorrir!
E quem a observar com atenção, vai ver que no cantinho dos lábios
existe um riso contido que um dia irá explodir.

Sandra Botelho!

8 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

É essa certeza que nos alenta, nos embala para a vida, Sandra. Lindooo.. eu estava achando lindo e triste, mas amei o final. Ainda bem.. ufaaaa. Beijos, amiga.

✿ chica disse...

Que coisa boa que ao final, tudo deu certo e dará mais ainda. Lindo e colorido está tudo aqui! Gostei! beijos, bom te ver!chica

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Sandra
A hora da verdade é doída mas é fundamental para mudanças. Chega um mo,em que é hora de partir e procurar se feliz, construindo a própria felicidade.
Linda semana para ti
Bjux

Marilu disse...

Querida amiga, nós duas escrevemos sobre Abismo, e finalizamos de maneira bem parecida. Se tiver um tempinho vai lá no Devaneios. Tenha uma linda semana. Beijokas

Sueli disse...

Amiga, arrasando como sempre. É nessas horas que as pessoas percebem o quanto vale o auto amor e a auto valorização. Que o mundo inteiro jogue pedras! elas não atingirão a quem se ama, a quem se banca, a quem não teme estar só e nem precisa do outro, pois sabe que a pessoa mais importante do mundo está junto. E essa pessoa chama-se "si própria". (sem contar os amigos de verdade, para quem tem a felicidade de tê-los!). Muito amor!

Regina Rozenbaum disse...

Êita que essa engordativa apertou meu core dessa vez. A cada linha lida uma esprimida...até chegar ao gran finale!
Beijuuss Sandra

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Puxa... quase nos perdemos.
Que saudade de ler aqui,
tudo que escreve é tao bom e doce.
Bjins

Kaka disse...

Mãos abertas e coração escancarado para recebe-la.
Já me aconcheguei por aqui!rsrs

Triste, belo,com um final doce como mel.
Brigaduuuu!
bjs
KK

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...