quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Vale se for VALE.

Vale mais a dor que o amor Vale? Vale!
Valem mais as  lagrimas em meio ao lamaçal Vale?  Vale!
Valem vidas perdidas, tragédias anunciadas Vale?  Vale!
Valem sonhos descendo em meio a lama Vale?  Vale!
Vale o desespero da perda Vale? Vale!
Valem mais as ações na bolsa Vale?  Vale!
Vale a negligencia mais que a vida Vale?  Vale!
Vale a morte da inocência Vale? Vale!
Valem os conchavos e os acordos mais que a vida Vale? Vale!
Vale mais que o canto silenciado dos pássaros Vale? Vale!
Vale mais que a destruição das matas Vale? Vale!
Vale o rio que agoniza Vale? Vale!
Vale o grito de dor engasgado no peito Vale? Vale!
Vale o choro dos orfãos, das viuvas, das mães dos pais Vale? Vale!
Vale a dor que agora sinto Vale ? Vale!
Vale menos que o lucro desmedido e ganancioso Vale? Vale!
Vale, Vale?
Tudo Vale se ninguem punir!
Tudo Vale enquanto o amor for escasso!
Não choramos mais lágrimas e nem sangue. Choramos lama!
Mas isso também Vale!
Tudo Vale!
Tudo Vale se o lucro Valer!

Sandra Gonçalves





Nenhum comentário:

No Banco da Praça

Foto Google Causou-me espanto noite dessas, Ver lá num canto no banco da praça, Sentados em uma noite fria, um casal de enamor...