sexta-feira, 24 de abril de 2009

Sexo

Quando dois corpos se envolvem em um ato soberbo e delicioso que é o sexo, se entregam sem reservas e nem pudores, simplesmente sentem um prazer carnal tão grande que passam a se entregar, ali ,deitados em algum lugar, ou até em elevadores, em cantos escuros.Porque para se fazer sexo não se escolhem lugares, não são necessárias camas redondas e enormes espelhos pela parede ou pelo teto, para se entregar a esse prazer animal bastam apenas dois corpos desnudados de pudor, ou de medo,ou ainda de remorso .Para se fazer sexo, basta o puro e doce e quente desejo.
O sexo não é amor, não hoje, não depois que as mulheres arrebentaram correntes e grilhões e decidiram se entregar de corpo e alma ao simples prazer de uma transa. No sexo não existem estigmas , nem flores e muito menos um doce eu te amo no final, no sexo tudo é permitido, mas nada é doado.
Não se doa um coração a quem simplesmente lhe pede momentos de prazer. Não se doa uma alma a um puro suspiro depois de um gozo, não são expressões de afeto, são rugidos de prazer.
Quando se faz sexo, o amor não é presente, não é primordial, muito menos consequência.
São olhos que se fecham de prazer, bocas entreabertas , que gemem e se molham.
Para se fazer sexo, bastam duas mãos tremulas e desejosas, deliciosamente deslizando sobre uma pele quente .
Sucumbir...é só o que se pede, se entregar a delicias e prazeres. Absorver desejos e distribuir saciedade, isso é fazer sexo.
É poder seguir em frente e tocar e ser tocado, e ser gentil por saber doar e retribuir carinhos, fazer sexo é ser gentil sem falsos pudores, é sorrir com carinho depois do gozo, e principalmente é nunca perguntar: Foi bom pra você tambem?
Isso desmorona toda a cena, mesmo que esta cena seja um simples sofá da sala, ou o banco de um carro, ou um elevador, ou o quarto de um motel.
Não me confundam meus queridos, eu estou falando de sexo, aquele mesmo que os animais fazem. Mas ao contrário dos animais que fazem sexo em busca da perpetuação da espécie, os humanos o fazem por um simples momento de êxtase, que dura segundos ou minutos, mas que faz de muitos escravos.
Sexo é vida?
Alguns dizem que sim, mas se não é vida, ele a melhora bastante . Para se fazer sexo puro e simples você não precisa ficar por horas escolhendo a lingerie mais sensual, nem o melhor perfume, nem os cremes afrodisíacos, aqueles segredinhos que todas nós sabemos e conhecemos muito bem. Aquelas pequenas coisas que guardamos porque queremos enlouquecer nosso amor de prazer e paixão. No sexo nunca se está preparado, ele simplesmente acontece.
Não é necessário cobrir a cama de flores, nem colocar gotas de perfume nos travesseiros, nem ao menos passar todo dia espalhando pela casa recadinhos sensuais. (isso fazemos quando amamos e não é o caso aqui) para se fazer sexo basta um olhar . Aquele olhar que percorre todo teu corpo e te desnuda, já te fazendo imaginar o quanto seria bom.
sexo é a banalização do "fazer amor" . Ainda não entendo como podem fazer tanto sexo.
E o vazio depois?E a vontade de pedir um beijo gostoso e demorado e de poder dormir no ombro do outro, e acordar no dia seguinte com a sensação de que o mundo nos pertence. E que alguém está ali , pronto para te amar novamente. Que façam sexo aqueles que sujeitam a isso, mais que aprendam a fazer amor também.Porque por mais que o fazer amor exija comunhão.responsabilidade, ele também presenteia a quem o faz com o sublime gozo perfeito e completo, quente e doce.
Façamos amor...Ele sim é vida e alma e doação e tesão e tudo mais que quisermos que seja.
http://www.youtube.com/watch?v=6Cgp0PwvR3Q
Sandra Botelho

Nenhum comentário: