domingo, 12 de julho de 2009

Amigo virtual

Chegou de uma maneira incomum, de um jeito torto tudo começou. Um pouco de conversa bastou, algumas musicas me mandou! Mostrou ser inteligente e sensível, me cativou de um jeito incrível! Minhas mentiras ele fez verdade, para minha vida trouxe luz, claridade! Ainda tocava um instrumento, soprava com amor e sentimento. E assim de um jeito carinhoso, Fez-se indispensável, fez-se amável! Era como o sol do dia, tempo nenhum havia que dele não me lembrasse, do raiar do dia, até que a luz se apagasse! Mas como todo sonho termina, não foi diferente minha sina, comecei a agir como menina, esqueci a lição que a vida ensina. Me envolvi alem da conta, e agi como uma tonta. Hoje sem ele o dia é sem sal, tudo é tão normal... Esqueceu-se de mim, esse amigo virtual, deletou, apagou excluiu, facilidade digital. E hoje a saudade é real quase dá para tocar, essa dor... Essa saudade, o erro de gostar de verdade! Sandra Botelho

Um comentário:

Musicas disse...

É muito lindo esse poema do amigo virtual, me identifiquei com a minha amiga, muito legal!!!