domingo, 19 de julho de 2009

Ciumes

É voraz e devorador,
destroi , magoa e causa dor.
É imaginação de coisas não acontecidas,
são voos insanos de uma mente adoecida !
Faz do manso feroz,
e do pacificador , algoz!
Torna ira o que era paz
e do amor fúria sagaz.
Tira o sono de repente,
mata a fome da gente,
faz dos sonhos pesadelos,
e das canções desesperados apelos.
Desespera, atropela,
é mais do que insano,
esse sentimento desumano,
que fere, doi, gela!
Sem controle, sem razão...
Transforma o amor em frustração
esfria a alma , a paixão
destroi o corpo e o coração.
Sandra Botelho

2 comentários:

Lucas disse...

Gostei dos seus poemas principalmente o desejada... você escreve bem, sempre amei poemas mas, ultimamente não os leio, os seus me fizeram parar e ler... tem talento... um poema para ser belo tem que simples como o seu e fazer quem lê sentir algo como se fosse escrito para ele... mas, no fundo acho que quem escreve poema, os bons poemas, escreve para si mesmo.

Bjxxx
Lucas.

Paula disse...

Nossa, esse sentimento é mesmo uma antítese.
SOCORRO!!
Belo texto Querida! Aliás como sempre.
Parabéns parabéns parabéns!!!

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...