domingo, 27 de setembro de 2009

Censurado

Nada me corroi mais o peito Que essa dor que não tem jeito Não ter caminhos, nem trilhas Somente o mar cercado por ilhas! E meu coração grita e chora. Minha alma inteira se dilacera, Por ter que partir assim... Sem poder ganhar você pra mim! Queria lágrimas de felicidade, Não essa dor, esse pavor. Queria em minha face teu beijo, E não a estampa clara da dor! Mas tenho que me conformar, Com o que a vida me proibiu, Me fez te ver e me apaixonar. E depois me obrigou a partir. Sandra Botelho

4 comentários:

SAULO PRADO disse...

A partida é sempre uma escolha!

Escolha ficar...

O mar pode estar cercado por ilhas, mas seu coração não, então siga a deriva, os novos mares da paixão...

Como sempre sua poesia me encantou, por falar sobre uma grande historia de amor! Não sei se é fictício ou não, o que importa é que suas letras
esta escrita em relevo de emoção...

Beijo e Paz Minha doce amiga!

Paula disse...

Essa dor que dói no peito....

Nossa, perfeito!!

angela disse...

Como doi Sandra...
bonito poema.
beijos

Razek Seravhat disse...

Difícil amar... Até mesmo quando se quer.