sábado, 4 de outubro de 2014

Suavidade


Baila suavemente la fora o vento !
Canta...
 Leva ao balé da folhas e flores ...
docemente  balança as aguas da baia!
E as arvores não resistem ao  som que embala a vida,
e se deixam levar... Sus raizes se afrouxam e bailam!
 Há o perfume das flores que teimam em deixar suas pétalas levarem a cor ao dia pálido.
Dedilho suave de olhos fechados o som da vida...E é lindo...Suave Como o gosto de amor!
 Com gosto de fazer amor!
Em uma cama de estrelas o vento acaricia a pele que arrepiada se entrega a volupia da natureza!
Beleza... Suspiros e gozo!
Majestosas as montanhas choram por não se moverem, e mesmo assim dançam acompanhando os passos do mato, das pequenas flores...Há o encanto,  o breve encanto que o vento traz...Traz o riso, traz o pranto...A paz!
E na sinfonia do vento, notas soltas, sustenidos, bemóis, acordes conexos , compostos pelo Criador.
Ah...O vento...neste momento, seca a lagrima que teimava em cair , balança meus cabelos, refresca de vida meus sonhos...O piano viajante, que vai pra todos os cantos! O vento !
Toca a dama, o vagabundo...Toca o mundo!
E em cada nota que me encanta, da dor a vida, o vento me levanta!
Ouça!
 Há la fora o som do vento...Momento! Vou la fora dançar!
Sandra Gonçalves

Um comentário:

Edumanes disse...

Suavidade lá fora!
dentro do peito a saudade
sempre e a qualquer hora
carinho, amor e felicidade
que nunca se vão embora
para longe da gente
contra a sua vontade
que saudades sente chora
falta do amor ausente!

Um beijinho para você amiga Sandra Botelho.
Eduardo.