segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Doce adeus

Que a solidão não nos aprisione... Que o grito de amor guardado na garganta Seja forte e não seja insône... E que essa morfina de sensações, Não seja capaz de extinguir nossas paixões... Que a pequenez de nossas almas, Não dissolva nossos sentimentos, Nem nunca nos cause traumas... E que mesmo quando eu me for, Não me deixe de chamar amor! Que o fim não seja triste, Não seja como todo fim que existe. Mas que seja como beijo roubado, Seja um adeus suave e adocicado, Com gosto de bala, caramelado. Mesmo que a lágrima teime em rolar, Que seja um desenho sereno, Que nunca essa dor seja veneno... Mas que seja uma doce recordação de que, Soubemos terminar, sem deixar de nos amar... Sandra Botelho!

15 comentários:

Fatima disse...

E que a gente se levante sempre Sandra!
Bjs.

Daniel Savio disse...

Não sei se consigo deixar um amor sem ter algum rancor, mas em alguns casos, amar é deixar o outro livre...

Hah, poesia bonita.

Fiquem com Deus, menina Sandra Botelho.
Um abraço.

Marcelo Mayer disse...

todo fim se tornará sorriso no próximo começo

(Carlos Soares) disse...

Ah,Sandra. Não sei se é posspível terminar um amor,sem dor.Independente disso, o poema está lindo. Parabéns.bjs

Adolfo Payés disse...

Bello disfrutar tus post.. en este mundo de palabras que acarician el alma..

Un beso


Un abrazo
Con mis
Saludos fraternos

Alvaro Oliveira disse...

OLÁ AMIGA SANDRA

BONITO ESTE POEMA! APESAR DE TRISTE COM DOCE ADEUS, TEM BELEZA, PELO SENTIMENTO PROFUNDO
QUE ELE ENCERRA. ADOREI!

BEIJINHOS

ALVARO

Elaine Barnes disse...

Poema lindo em mocinha! Beleza mesmo poetisa. Dizer adeus às pessoas faz parte da vida. O importante é absorver aexperiência, digerir tudo e não dizer adeus para nós mesmos. Graças a Deus podemos fazer escolhas,sendo assim, assumirmos a responsabilidade sobre elas,não podemos culpar ninguém. Quando não conseguimos trazer um sonho,um desejo à realidade,ele existiu na fantasia somente e precisamos disso também pra imaginar os sabores e as cores. Tudo está certo como está. bjão

Luna Sanchez disse...

Sandra,

para que o fim não seja triste, só fazendo com que ele aconteça um pouquinho antes do previsto...sempre funciona.

Beijo,

ℓυηα

Cadinho RoCo disse...

Que possamos estar sempre em sintonia com nossos acontecimentos.
Cadinho RoCo

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil! - disse...

VejaBlog
Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil!
http://www.vejablog.com.br

Parabéns pelo seu Blog!!!

Você está fazendo parte da maior e melhor
seleção de Blogs/Sites do País!!!
- Só Sites e Blogs Premiados -
Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

O seu link encontra-se no item: Blog

http://www.vejablog.com.br/blog

- Os links encontram-se rigorosamente
em ordem alfabética -

Pegue nosso selo em:
http://www.vejablog.com.br/selo


Um forte abraço,
Dário Dutra

http://www.vejablog.com.br
....................................................................

angela disse...

Que bonito isso!
beijos

Everson Russo disse...

Interessante que passei por algo assim, terminar sem deixar de amar, mas não foi um doce adeus....doi ate´hoje...beijos querida e uma otima noite pra ti

SAULO PRADO disse...

Que este adeus te faça feliz e que não fique nenhuma cicatriz...


Lindo, como jamais um adeus pode ser!!!

Juliana Lira disse...

Sandra

Cada dia cê escreve melhor!Que lindo menina...
"E que mesmo quando eu me for,
Não me deixe de chamar amor!"

Esse poema é digno de um amor de filme, de novela, de livro, de Sandra Botelho!
Porque dizer adeus pode até ser triste, mas deve ser lindo, deve deixar saudade e inspirar.

Que seja eterna sua inspiração.


Milhões de beijos

sandra Freitas disse...

Minha florzinha,

Leio todos os seus poemas e fico encantada com sua sensibilidade e verdade.Que esse Adeus não nos impeça de amar de novo. "que a solidão não os aprisione"
Bjos

Meu sereno amor

Meu pequeno pedação de sonho! Me leva pra passear? Por ai em qualquer canto, onde o sol me descanse do calor... Me lembra...